Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

Morreu nesta sexta-feira (26/06), em Araçatuba (SP), aos 85 anos, Ernesto Trentin. Assessor da diretoria do SIRAN (Sindicato Rural da Alta Noroeste) por 17 anos, fez amigos, fez a diferença atuando em articulações políticas e agora deixa um vácuo.
A política, aliás, que sempre foi a sua grande paixão. Antes de chegar à entidade, Trentin foi vereador em Murutinga do Sul (SP), prefeito de Pereira Barreto (SP), chefe de gabinete de secretarias de Estado, diretor do Metrô da capital paulista, secretário adjunto de Estado da Secretaria da Agricultura e Abastecimento, e secretário de Estado da Promoção Social.
Pessoa de fácil relacionamento, educado, discreto e dedicado ao trabalho, era admirado por todos os que o conheceram. Desde 2002, auxiliou os presidentes do SIRAN (Fernando Caserta Aguiar, Alfredo Ferreira Neves Filho, Antonio Carlos Ferreira, Luiz Antonio Pereira de Morais, Marco Antonio Viol) em todas as demandas relativas a ações administrativas e articulações com os associados e com o poder público.
Foi casado com Leni (falecida em 2013), teve quatro filhos (Ernesto, Edilson, Eduardo e Élcio) e cinco netos (Thiago, Gabriel e Elcio, Felipe e Amanda). Nasceu em Araçatuba e de sua terra natal partiu (15/01/1935 – 26/06/2020).
“O Trentin chegou ao Siran em 2002, por indicação do Cândido Arruy. Ele já era conhecido da maioria dos associados, inclusive do meu pai. Durante o meu mandato nos tornamos amigos. Com toda a sua experiência de gestão e política, nos ajudou muito, nos pleitos do setor, na organização e na realização da exposição agropecuária (Expô Araçatuba). Era um ótimo gestor, e, acima disso, uma enorme figura humana”, disse Fernando Caserta Aguiar, que dirigiu o sindicato entre 2002 e 2005 e foi responsável pela contratação de Trentin,
“Em 2010, o SIRAN começou o ano com uma dívida de R$ 500 mil, e pressionado pelas ações do MST, que tinha no bairro Engenheiro Taveira um dos maiores acampamentos do país. Nesse contexto, o conhecimento e a habilidade política do Ernesto Trentin foi fundamental para promovermos uma reviravolta. Realizamos o Abril Verde, que reuniu cerca de 1800 produtores rurais, com patrocinadores e palestrantes significativos, que participaram, em grande parte, graças aos contatos do Trentin. Ele foi simplesmente brilhante, pois uniu a diretoria, que, trabalhando com o seu suporte, ao final daquela gestão deixou meio milhão de reais em caixa”, afirmou Antonio Carlos Ferreira, presidente do sindicato em 2010/2011.
“Ele foi um expoente. Com o seu conhecimento e relacionamento no mundo político, o Trentin deu uma nova dinâmica ao Siran. Ajudou a alavancar e reestruturar o sindicato, nos permitindo entrar em uma nova era. Não é exagero dizer que a história recente do Siran é marcada por antes e depois do Trentin. Temos muito a agradecer a ele, que, apesar de ter sido funcionário, sempre lembrado como um diretor, tamanho o respeito que tínhamos por ele, e, principalmente, como um grande amigo”, reforçou Marco Antonio Viol (2014/2017)

TRAJETÓRIA
Aos 12, Trentin, começou a trabalhar no cartório de registro de imóveis e anexos de Araçatuba. Posteriormente trabalhou nas empresas Irmãos Pagan, Coopercitrus e Quimbrasil-Serrana. Mas foi no ano de 1955 que sua vida começou a mudar. No início da década de 1950, já formado em técnico de contabilidade pela Escola Técnica de Comércio D. Pedro II, do professor Joaquim Dibo, o jovem Trentin foi convidado pelo primeiro prefeito eleito de Murutinga do Sul, Celso Justo, a implantar a parte burocrático do município.
Com bom conhecimento e muitos sonhos, Trentin desembarcou em Murutinga do Sul para fazer história. Pessoa de fácil relacionamento, em pouco tempo tornou-se figura muito conhecida e foi eleito vereador, dando início a uma vitoriosa carreira política.
Em 1964, Leo Liedtke Júnior vence a eleição para prefeito de Pereira Barreto e convidou Trentin para assumir a área contábil. Já casado, mudou-se com a família para Pereira Barreto. Mais uma vez o seu estilo de trabalho o fez conhecido e respeitado. Tanto que em 1968 foi eleito prefeito, sendo sucedido por Leo Liedtke e voltou à Prefeitura de 1977 a 1983. Foram dois mandatos de muito trabalho. Entre uma das principais conquistas, foi levar curso superior para o município, hoje as Faculdades Integradas Urubupungá (FIU). Trentin foi também um dos fundadores da Amru (Associação dos Municípios da Região de Urubupungá).
Após o término do segundo mandato, Trentin retornou a Araçatuba, exatamente 30 anos depois de ter deixado a cidade. Mais uma vez atuou na área educacional, dando início aos cursos de Ciências Contábeis e Educação Física da então Instituição de Ensino Soler. Anos depois estes cursos foram incorporados pelas Faculdades Toledo.

CAPITAL
Pouco tempo depois de retornar a Araçatuba, a convite do PTB, Ernesto Trentin assumiu a chefia de gabinete da bancada petebista na Assembleia Legislativa, restabelecendo contato com José Antônio Barros Munhoz (de Itapira), pois ambos foram prefeitos no mesmo período e já se conheciam. Sempre atuando ao lado de parlamentares do PTB, Trentin permaneceu na Assembleia Legislativa em 1987 e 1988. Em 1989 foi para a Secretaria da Promoção Social como chefe de gabinete do secretário José Wilson Toni. Em 1990, Trentin assumiu o cargo de secretário de Estado da Promoção Social. No mesmo ano foi para a diretoria de Planejamento do Metro de São Paulo, quando foi aprovada a linha da Paulista.
No ano seguinte, Trentin voltou a trabalhar com Barros Munhoz. Desta vez, como chefe de gabinete na Secretaria da Agricultura e Abastecimento, cargo no qual permaneceu até 1992. Em 1993, Roberto Rodrigues assumiu a pasta e Ernesto Trentin foi nomeado secretário-adjunto. Voltou a ser chefe de gabinete da Secretatia da Agricultura quando José Pilon assumiu a pasta. Após deixar a secretaria, Trentin e mais dois amigos (ex-prefeitos) instalaram um escritório de consultoria pública para aumento de arrecadação do ICMS.
Em 1997 o amigo Barros Munhoz voltou à Prefeitura de Itapira. No ano seguinte, convidou Ernesto Trentin a assumir a chefia de gabinete, estabelecendo o convívio de sucesso na Secretaria de Agricultura e Abastecimento. Trentin ficou aproximadamente dois anos e acabou atendendo convite do filho e veio para Coroados, onde permaneceu até ser convidado para assumir a assessoria do Siran. Assim, o araçatubense retornou à cidade natal quase meio século após te-la deixado.


Compartilhe esta notícia!