Compartilhe esta notícia!

ANTÔNIO CRISPIM – ARAÇATUBA

O vereador Davis Martinelli (Democratas), presidente da Comissão Especial de Inquérito instalada pela Câmara de Três Lagoas para apurar denúncias de irregularidades no Hospital Nossa Senhora Auxiliadora, disse ontem que está aguardando a remessa dos documentos solicitados para dar continuidade aos trabalhos.

De acordo com o presidente, a comissão solicitou documentos à Prefeitura de Três Lagoas, “Solicitamos informações sobre o repasse de recursos públicos municipais de janeiro de 2017 a abril de 2020. Precisamos saber como os recursos foram aplicados”, disse o presidente da Câmara.

Quanto às informações solicitadas à direção do Hospital Auxiliadora, a CPI quer saber se o diretor (Marco Antônio Calderon de Moura) tem habilitação para a função, se a sua mulher foi contratada e se está registrada no órgão de classe de Mato Grosso do Sul, nota fiscal de suposta compra de 150 mil em flores. Além disso, a comissão quer saber o volume de repasses de dinheiro público e como foi aplicado pela instituição. “São muitos documentos solicitados. Na semana passada, por meio da assessoria jurídica, o hospital pediu uma dilação de prazo, o que foi concedido. O novo prazo vence na primeira semana de julho”, disse Davis Martinelli.

Segundo o vereador, a comissão fez duas reuniões para deliberar sobre o trabalho a ser executado. Nestas reuniões aprovaram o pedido dos documentos. “Na análise dos documentos é que iremos verificar se houve ou não irregularidade”, acrescentou o vereador presidente da comissão.  Após a análise dos documentos, a CPI pode estabelecer um cronograma para ouvir pessoas. “O trabalho está caminhando”, afirmou o vereador Davis Martinelli.


Compartilhe esta notícia!