Compartilhe esta notícia!

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

Após reunião de líderes evangélicos com o prefeito Dilador Borges (PSDB) na última quinta-feira, onde além do prefeito, membros do governo afirmaram que não é decisão municipal a proibição ou não de cultos, muitos deles afirmaram que não vão abrir seus templos ao público.

Dentre estes líderes religiosos, ouvidos pela reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL, alguns se solidarizaram com o comércio de Araçatuba e acreditam não ser justo ter igrejas abertas enquanto as lojas estão fechadas.

Boa parte dos templos evangélicos, bem como de outras religiões, estão transmitindo suas celebrações pela internet, atingindo os fieis através das redes sociais.

Pastor da Ágape quer que Dilador interceda a Dória pela volta do comércio

O pastor Alfredo Nogueira, da Igreja Ágape, por exemplo, afirmou não conhecer nenhum estabelecimento comercial da cidade que tenha tantas pessoas ao mesmo tempo como em igrejas e por isso acha uma incoerência a abertura dos templos. “Fica estranho abrir templos e não abrir os estabelecimentos comerciais e empresariais. Eu não conheço nenhum estabelecimento comercial ou empresarial na nossa cidade que agregue tantas pessoas ao mesmo tempo como as igrejas o fazem. Alguns dos nossos templos de comunidades irmãs aqui da cidade agregam milhares de pessoas dominicalmente. Mesmo com essa restrição esse número cairia aí pra, no mínimo, 500 pessoas em cada ajuntamento. Então, se não é possível abrir os estabelecimentos por causa do ajuntamento de pessoas, não faz sentido a gente se reunir nos templos”, explicou o pastor da Ágape, que afirmou que as celebrações estão sendo transmitidas aos fieis pela internet.

O líder religioso falou em “solidariedade social” de sua igreja e de comunidades irmãs à sua para com a população araçatubense. “Nós não lutamos por nós, nós lutamos pela cidade. E como cidadão a gente percebe claramente que há uma necessidade urgente, urgentíssima, de colocarmos a máquina de produção em funcionamento. A máquina funciona com o trabalho do povo, o povo precisa trabalhar para trazer sustento pra casa. Nós vemos o desespero das pessoas por um prato de comida. Isso é extremamente doloroso”, concluiu.

Pastor Alfredo afirmou que a voz de Araçatuba precisa ser ouvida pelo governador João Dória (PSDB), que mantém decreto de quarentena até o dia 31 em todos os municípios do estado. Em sua visão, é necessária a volta das atividades econômicas e o prefeito Dilador Borges (PSDB) precisa interceder pela cidade junto ao governador. “O prefeito tem o nosso apoio em oração, mas tem também a nossa pressão neste sentido, porque ele é a nossa voz diante do governador. Apesar de compreendermos as dificuldades encontradas na capital, não entendemos e não aceitamos que as mesmas medidas tomadas sejam as medidas tomadas aqui, nós não vivemos a mesma situação em nossa cidade”, concluiu.

Líder da “Casa do Pai” acha que cidade tem que voltar à normalidade

Já o Pastor Samuel de Souza, que comanda a igreja Casa do Pai, localizada no bairro Santana, afirma que o templo que comanda seguirá transmitindo as reuniões pela internet e fala sobre o papel social que a igreja está desenvolvendo, arrecadando e distribuindo alimentos aos mais carentes.

Ele também foi na mesma linha e espera que a cidade retorne ao funcionamento normal. “Vamos continuar transmitindo pela internet os cultos online porque a gente espera que a cidade retorne a uma normalidade, o comércio. Temos orado pelos pequenos prestadores de serviço, pelos empresários que estão parados. A gente entende que há um conjunto de situações onde temos que nos preocupar de forma geral”, disse.

Pastor Samuel afirmou não ter nada contra as igrejas que decidirem abrir. “Respeitamos quem vai fazer diferente, se algumas igrejas vão abrir nós não temos nenhum problema em relação a elas, mas nós especificamente, a Casa do Pai, vamos continuar fazendo as nossas transmissões online neste momento”, concluiu.

Pastor da Assembleia de Deus espera aval do prefeito

O pastor Aparecido de Souza, da Assembleia de Deus Ministério do Belém, afirmou que uma reunião entre líderes de filiais da igreja na região de Araçatuba decidirá pela abertura ou não dos templos. Esta reunião não havia ocorrido até o fechamento desta edição.

Ele disse, porém, que espera um aval do prefeito Dilador Borges para poder voltar a realizar cultos em seu templo. “Dependemos de uma reunião que está sendo marcada com nossa liderança para poder ver quais são os passos a serem tomados, mas também estamos aguardando uma comunicação pessoal do nosso prefeito Dilador”, afirmou.

Reunião com prefeito não deu segurança a alguns líderes evangélicos

Na última quinta-feira, em reunião com 12 líderes religiosos, o prefeito Dilador Borges, acompanhando do vereador Dunga (DEM) e do secretário de assuntos jurídicos, Fábio Leite, foi explicado aos presentes que os decretos federal e estadual não proíbem a abertura de igrejas.

Foram passadas orientações sobre distanciamento social e sobre a capacidade máxima permitida em cada templo. Porém, nenhum decreto para funcionamento dos estabelecimentos religiosos foi baixado pela prefeitura, o que deixou parte dos líderes do seguimento inseguros quanto à volta de suas atividades normais.


Compartilhe esta notícia!