Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

Quem teve a oportunidade de ler o plano de governo do prefeito Dilador Borges (PSDB) apresentado ainda nas eleições de 2016, pode constatar facilmente que muita, mas muita coisa que lá está escrita não se tornou realidade. O que leva o cidadão a constatar que mentiu para os eleitores em boa parte do que prometeu para os moradores de Araçatuba.

Um exemplo de promessa não cumprida e desrespeito para com seus eleitores, principalmente, é o futuro da Rodoviária. Consta no plano de governo de Dilador, com destaque nas páginas 8 e 47, onde trata de assuntos relacionados à Mobilidade Urbana e Turismo, a promessa de que Araçatuba ganharia na gestão do tucano uma nova Rodoviária.

Dilador chega a cravar no fatídico plano que o novo terminal de passageiros para embarque e desembarque de passageiros, de todas as empresas cujas linhas passam por Araçatuba, seria construído em uma área nos altos da avenida da Saudade, bem próximo à rodovia Marechal Rondon (SP-300), que pertence à Ceagesp. Doce ilusão.

Eis que, agora, após escrever e tanto falar sobre a nova rodoviária, Dilador surge com uma proposta de privatização do atual terminal. Conforme noticiado por parte da imprensa de Araçatuba, a administração tucana abriu licitação para contratar empresa com a finalidade de elaborar proposta que possa autorizar ao Executivo a concessão do terminal rodoviário à iniciativa privada.

Com isso, a Prefeitura pretende passar para uma empresa a gestão da área de embarque e desembarque de passageiros, áreas onde funcionam os guichês para venda de passagens pelas empresas e também os espaços onde funcionam bares e também pequenas lojas.

 

VERSÃO DO MUNICÍPIO

A reportagem de O Liberal Regional perguntou à Prefeitura de Araçatuba os motivos de Dilador Borges esquecer o plano de governo e a promessa de campanha para os eleitores, mudar de ideia e resolver privatizar a rodoviária em vez de construir uma nova, conforme prometeu durante a campanha eleitoral e vinha sustentando até recentemente.

Em resposta, a assessoria de imprensa da Prefeitura diz que os estudos que estão em fase de contratação vão indicar ao município qual será a melhor alternativa sobre a Rodoviária: privatizá-la, concedendo a gestão a uma empresa privada, ou buscar a construção de um novo terminal. Em caso de um novo prédio, o município não diz se a obra ficaria sob sua responsabilidade ou se também seria por outro meio.

O prefeito Dilador, do PSDB, diz que a intenção não é vender o prédio onde funciona a Rodoviária, pois a Prefeitura, em caso de privatização, continuaria funcionando na parte superior, como é atualmente. Sobre os boxes de comerciantes, os mesmos estudos deverão indicar como que a questão deverá ser tratada, uma vez que muitos são proprietários dos espaços onde estão instalados.

a Rodoviária (5)


Compartilhe esta notícia!