Compartilhe esta notícia!

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

Uma loja de móveis localizada na rua Luiz Pereira Barreto, no centro de Araçatuba, está conseguindo manter os seus funcionários empregados muito por conta de outras lojas da rede que estão abertas em outros estados.

Segundo o responsável pelo departamento financeiro da DiFábrica, Matheus Ferreira, as vendas caíram em Araçatuba após o estabelecimento passar a vender apenas pela internet. De acordo com ele, o receio dos clientes de irem até o estabelecimento faz com que ele perca muitas vendas neste formato. “Pra comprar um sofá a pessoa sentir o toque do tecido, o material, se ela se adapta na densidade da espuma, temos sofás mais moles, mais rígidos, tudo isso interfere muito na hora de o cliente efetuar a compra”, explicou Ferreira sobre a importância do atendimento presencial em seu tipo de estabelecimento.

A loja, que possui produção própria de estofados, teve uma queda de 40% na produção de sofás neste período de diminuição das atividades. Além disso, o estabelecimento comercializa painéis, poltronas e mesas de jantar. Mesmo assim, a empresa manteve todo o quadro de funcionários intacto.

Segundo Matheus Ferreira, outras lojas da rede localizadas em Dourados (MS) e Goiânia (GO), cidades onde a abertura ou flexibilização permitiu o atendimento presencial, estão sustentando os estabelecimentos que estão fechados. “Pela questão de a loja estar fechada, dá uma grande diferença para a loja que a gente tem em Dourados, de quase 50% de mais vendas em Dourados do que nas lojas que estão fechadas. Isso está interferindo bastante. Principalmente a gente que é focado no atendimento presencial dificulta bastante a realização de vendas”, argumentou.

Fora as filiais de Dourados, Goiânia e Araçatuba, a DiFábrica também possui lojas em Birigui, Araraquara e São Carlos, todas sob decreto estadual de quarentena em São Paulo. Segundo a direção da loja, um segundo estabelecimento em Goiânia seria aberto no primeiro semestre, mas o projeto foi adiado devido à pandemia.

Além da loja aberta em Dourados, as vendas realizadas pelas redes sociais se mantiveram em um mesmo patamar de antes da crise e garantiram a estabilidade financeira da rede. “Graças ao funcionamento das outras lojas que estão abertas, como a de Dourados, a gente está conseguindo manter o pessoal e algumas vendas que estamos realizando online, por exemplo através do instagram, facebook e whatsapp. As lojas que estão abertas estão sustentando a nossa rede, para que a gente continue aberto e não precise dispensar nem funcionário e nem precisar fechar uma loja. Porque na situação atual a gente sabe que uma pessoa que ficar desempregada vai ser muito difícil de conseguir um outro trabalho”, disse o responsável pelas finanças da empresa, que mantém três vendedores em Araçatuba.

Matheus Ferreira acredita que seria possível flexibilizar a abertura do comércio em Araçatuba, devido ao baixo número de casos de covid-19 até o momento. “Eu acredito que a gente poderia começar a trabalhar com um percentual menor de atendimento, porque se continuar dessa forma é muito difícil uma empresa continuar se mantendo, tendo muito menos vendas do que ela está acostumada a ter, e tomando todas as precauções necessárias acredito que não interfira tanto nessa questão (do coronavírus)”, disse Ferreira, que ressaltou os cuidados com a higienização da loja e dos produtos que os funcionários estão tendo neste período.


Compartilhe esta notícia!