Home Cidades Araçatuba Pressionado, Dilador recebe donos de academias, mas mantém estabelecimentos do ramo fechados

Pressionado, Dilador recebe donos de academias, mas mantém estabelecimentos do ramo fechados

6 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

Um dia após ter se irritado com a manifestação de donos de academias em frente ao Paço Municipal e de ter dito que não atenderia grupos que fizessem “motim”, o prefeito de Araçatuba, Dilador Borges (PSDB), cedeu à pressão e atendeu ontem, quinta-feira, a um grupo formado por três líderes do movimento de cerca de 40 pessoas, que ocorreu na manhã da última quarta-feira.

Na reunião, realizada a portas fechadas no gabinete do prefeito, participaram o prefeito Dilador Borges e o secretário de esportes Sérgio Tumelero, que havia sido designado para conversar com eles durante a manifestação na quarta. Novamente os empresários ouviram a mesma justificativa do prefeito, a de que não há como se sobrepor ao decreto municipal, situação que deixou a todos do seguimento insatisfeitos. ”Entendemos essa posição. Essa também é a nossa vontade, mas isso não pode estar acima da lei. Não podemos descumprir a lei imposta pelo governo do Estado de São Paulo e o que temos recebido, no momento, é que se cumpram as regras de isolamento social e suspensão das atividades não essenciais”, disse o chefe do executivo, frustrando as expectativas dos presentes no encontro.

Conforme o jornal O LIBERAL REGIONAL publicou na edição de ontem, empresários do setor realizaram estudos e produziram um levantamento para ser entregue ao poder público municipal pedindo a reabertura de seus estabelecimentos comerciais. No requerimento, dentre outras questões, há um estudo que tenta comprovar que a atividade física orientada dentro das academias é uma atividade essencial, principalmente neste período de luta contra a pandemia de coronavírus. Outro documento mostrava que o Conselho Regional de Educação Física não foi consultado pelo governo estadual sobre a paralisação das atividades em academias e lembra que, desde 2007, o profissional de educação física é reconhecimento como profissional da saúde.

De acordo com Fernanda Malafaia, dona de academia e que participou do manifesto na quarta e da reunião de ontem, seria possível que os estabelecimentos reabram respeitando uma série de normas. “A gente é consciente de todas as questões citadas pelo governo e pelo município sobre a pandemia, mas estamos pedindo a flexibilização. É uma forma de que as pessoas possam melhorar a imunidade, a qualidade de vida, acho que temos que orientar essas pessoas sobre esse vírus”, defendeu Fernanda, que também comentou sobre a cartilha a ser seguida em caso de reabertura. “Estamos fundamentados em uma cartilha da ACAD (Associação Brasileira de Academias), da OMS, e também com o Ministério da Saúde, para o respeito de regras como higienização, paramentação com E.P.I.s (Equipamentos de Proteção Individual) de forma que esses alunos vão poder fazer de forma segura. A academia de responsabiliza pela limpeza do chão, dos equipamentos, nós vamos fazer entrega de senhas, agendamentos, algo muito organizado”, afirmou.

Sem a volta das academias, a possibilidade de demissão de profissionais nestes estabelecimentos é de mais de 90%. De acordo com dados coletados entre os empresários do setor, somente em 22 academias de Araçatuba pode haver 159 demissões, o que pode começar a ocorrer já a partir da próxima semana.


Compartilhe esta notícia!