Home Cidades Araçatuba Prejuízo financeiro preocupa maior parte dos araçatubenses

Prejuízo financeiro preocupa maior parte dos araçatubenses

4 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

ARNON GOMES – ARAÇATUBA

A maior parte dos araçatubenses acredita que suas finanças ficarão comprometidas por causa da pandemia de coronavírus. A conclusão está em novos dados sobre a percepção e o comportamento da população local diante da atual situação, divulgados ontem pela ABR Inteligência, empresa localizada na cidade que realiza pesquisas de opinião.

De acordo com o levantamento, para 74% dos entrevistados no município, sua própria situação financeira será muito afetada. Eles chegaram à mesma conclusão em relação à saúde (89%), emprego (85%), qualidade de vida dos brasileiros (82%), setor privado (75%), cofres públicos (72%) e política (55%). A margem de erro é de dois pontos percentuais sobre os resultados encontrados no total da amostra.

A sondagem deu continuidade à pesquisa divulgada no final da semana passada que aponta que 48% dos moradores do município aprovam a quarentena decretada pelo governador João Doria (PSDB), que determinou o isolamento social, como forma de combater o novo coronavírus. O resultado desse estudo, noticiado por O LIBERAL REGIONAL na edição de sábado passado, mostra ainda que os araçatubenses temem mais ficar desempregados do que pegar a doença que está fazendo vítimas no mundo inteiro.

O estudo foi realizado entre os dias 10 e 15 de abril, com o objetivo de colaborar com as autoridades, a imprensa e toda a comunidade.

COMÉRCIO

Coordenada pelo diretor do instituto, Peter Abreu, a pesquisa também trouxe a opinião das pessoas que moram na cidade acerca de um dos temas mais discutidos pela opinião pública em meio à pandemia: o funcionamento do comércio. Segundo a pesquisa, apenas 35% dos araçatubenses são contra o fechamento do comércio, enquanto 44%, a favor e 20%, parcialmente a favor.

A população também se mostrou preocupada com as aglomerações. Oitenta e um por cento dos entrevistados se disseram favoráveis à suspensão das aulas, mesmo percentual em relação à paralisação das celebrações religiosas. Os índices são maiores ainda quanto a eventos esportivos (90%) e viagens internacionais (95%). No que diz respeito ao fechamento de fronteiras, a estatística é de 79%.


Compartilhe esta notícia!