Home Cidades Araçatuba Primeira semana de quarentena registra diminuição de consumidores nos supermercados

Primeira semana de quarentena registra diminuição de consumidores nos supermercados

7 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

O número de consumidores nos supermercados diminuiu na primeira semana de quarentena decretada pelo Governador João Dória (PSDB) em todo o estado de São Paulo, em relação à semana passada.

De acordo com um estudo divulgado nesta semana pela APAS (Associação Paulista de Supermercados), o número de clientes que frequentou estes estabelecimentos na última segunda-feira, dia 23, teve um acréscimo bem menor em relação a 24 de fevereiro, que foi a segunda-feira de carnaval: 24,8%.

Já na última terça-feira, dia 24, o crescimento das vendas em relação à terça-feira de carnaval, que foi a última do mês passado, foi de 18,2%.

Estes números são bem mais modestos em relação aos da semana passada. Na última quinta-feira, dia 19, foi registrado o pico de vendas em supermercados do Estado, com alta de 48,5% em relação ao dia 20 de fevereiro, que também caiu em uma quinta-feira.

Neste levantamento é feita uma média entre as vendas de todas as lojas do ramo no estado e a comparação é traçada entre os mesmos dias da semana há exatamente um mês. De acordo com a APAS, os números indicam que o movimento está voltando à normalidade após um pico de consumo na última semana.

Para o Dirigente Regional da APAS em Araçatuba, Nilton César Orsi, a conscientização das pessoas com relação aos perigos do novo coronavírus é fator fundamental na diminuição do público nesta semana. “Desde semana passada, fechamento do comércio, o momento que a gente vive, a redução ela está linkada a isso”, disse Orsi, ainda lembrando que nem todos os estabelecimentos registraram os mesmos índices.

Segundo ele, o consumidor que corre para os supermercados de forma exacerbada, levando mais gente consigo na mesma compra e querendo estocar produtos, comete um erro grave. “Se a gente não tiver consciência que não há necessidade de ir em dois, três para o supermercado, e só uma pessoa fazer suas despesas de forma coordenada e tranquila, a gente vai passar por problemas maiores. Não que o supermercado seja um meio condutor do vírus, mas o que acontece é que aglomeração, seja ela em qualquer lugar, é um meio condutor. Se utilizarmos o supermercado de forma correta a gente reduz muito este risco”.

De acordo com Nilton Orsi, os estabelecimentos da região de Araçatuba estão aprendendo com o cenário novo de crise na saúde pública e tomando medidas para evitar aglomerações. “Está sendo colocado em todas as lojas indicativos no chão para espaçamento de filas para auxiliar o cliente a saber a distância, cartazes pedindo para não encostar nos balcões, a maioria das empresas parou de distribuir panfletos porque ele exige o contato físico. Está sendo feita a limpeza e higienização dos carrinhos, distribuição de álcool gel na entrada das lojas”, elencou Orsi.

Internet

Ainda segundo o levantamento divulgado pela entidade supermercadista, as vendas online cresceram 74%, em media, na última semana, o que significa que mais clientes se utilizaram de aplicativos para compra e optaram por receber os produtos em suas casas.

Os números, porém, ainda representam somente 2% do total de vendas dos estabelecimentos do ramo. Por isso, 62% das empresas estão reforçando suas equipes para manter um prazo adequado nas entregas e melhorar o atendimento.

Mais caros

De acordo com o estudo da APAS, alguns produtos registraram aumento de preço devido à maior procura na última semana. A justificativa da entidade é a de que os fornecedores aumentaram o valor das mercadorias, e mesmo havendo negociação, em alguns casos, o preço maior teve de ser repassado aos consumidores.

Como exemplos de alimentos que tiveram aumento de preço nos últimos 10 dias em todo o Estado, o estudo citou a batata, que aumentou 90%; o feijão, com aumento de 67%; o Leite Longa Vida, com aumento de 54%; e o alho, que aumentou 45%.


Compartilhe esta notícia!