Home Cidades Araçatuba Prontos-socorros contam com a presença de alunos de Medicina do Unisalesiano

Prontos-socorros contam com a presença de alunos de Medicina do Unisalesiano

6 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

O setor de Urgência e Emergência do SUS (Sistema Único de Saúde) de Araçatuba ganhará uma contribuição significativa a partir deste ano, que é quando os alunos do 3º ano do curso de Medicina do Unisalesiano acompanharão os médicos do Pronto-Socorro Municipal Aida Vanzo Dolce e o Pronto-Socorro Santa Casa.

As atividades da disciplina de Habilidades de Emergência foram iniciadas na terça-feira (4), na Santa Casa, sob coordenação do médico patologista clínico e diretor Técnico do hospital, doutor Giulio Stanco Coscina Neto. Os mais de 60 acadêmicos foram divididos em grupos e supervisionados pelos preceptores.

De acordo com Coscina Neto, os alunos já receberam as instruções e de que forma que irão acompanhar os médicos durante a anamnese (entrevista realizada pelo profissional de saúde ao seu doente, que tem intenção de ser um ponto inicial no diagnóstico de uma doença) e os exames clínicos completos.

“Eles presenciarão o primeiro contato entre médico e paciente. Dessa forma, terão a oportunidade de colocar em prática os conhecimentos que tiveram nas aulas teóricas”, comentou o diretor Técnico da Santa Casa, ao ressaltar que o primeiro dia de atividade foi muito bom. “Os alunos estão muito bem preparados.”

O coordenador do curso de Medicina do Unisalesiano, doutor Antônio Henrique Poletto, afirma que esse é um marco para a cidade: ter alunos acompanhando os atendimentos de urgência e emergência do SUS. “É importante porque nossos médicos em formação estão em campo de atendimento já no terceiro ano”, destacou.

Ainda segundo Poletto, para o aprendizado da medicina é fundamental a prática aliada à teoria.

 

REALIDADE MÉDICA

Os alunos do 3º ano do curso de Medicina do Unisalesiano estão empolgados com a realidade sentida através da disciplina de Habilidades de Emergência. O acadêmico Filipe Aguiar, de 24 anos, disse que estava ansioso por esse momento. “Desde o início do curso temos contato direto com os pacientes; mas agora, mais do que nunca, na emergência, chegou a hora de colocar em prática tudo o que aprendemos ao longo desses dois anos”, explicou.

No primeiro dia da atividade, Aguiar contou ter sentido a sensação de que a realidade médica começou. “Compreendemos como funciona o sistema de atendimento da Santa Casa e acompanhamos o prontuário dos nossos pacientes. Foi uma experiência muito enriquecedora e olha que foi apenas o primeiro dia”, comemorou.

Para o acadêmico Warlley Almeida Quixabeira, de 20 anos, a prática o deixará mais preparado, tanto fisicamente quanto mentalmente para quando se formar. “Primeiro dia foi importante para conhecer o local da urgência e emergência, os pacientes e os preceptores que nos guiam. Acompanhei a anamnese e exame físico em pacientes orientados e acamados”, lembrou.

Por sua vez, a aluna Caroline Mohr, de 20 anos, disse ter adorado o primeiro dia de atividade na Santa Casa. Segundo ela, a responsabilidade de acompanhar os pacientes aumenta a paixão pelo curso.

A Abem (Associação Brasileira de Escolas Médicas) recomenda, dentro de suas Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina, “ser importante que o egresso do curso médico tenha um conjunto de habilidades, competências e atitudes que o tornem apto para um bom atendimento aos doentes nos diferentes cenários da urgência e emergência, tanto traumáticas quanto não traumáticas.”


Compartilhe esta notícia!