Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

A vice-prefeita de Araçatuba, Edna Flor, e representantes de secretarias municipais de Araçatuba participaram da aula inaugural da Formação Para A Não Violência Contra a Mulher, promovida e realizada pela Defensoria Pública de Araçatuba, em conjunto com órgãos públicos municipais e estaduais, a Funep (Fundação Educacional de Penápolis) e o Sest Senat, onde foi realizada, nesta sexta-feira (24).

A Formação é uma sequência de seis aulas, das quais o evento inaugural contou com palestra de Jamilly Nicácio Nicolete, coordenadora do curso de Pedagogia da Funep, além, das participações da vice-prefeita Edna Flor; do presidente da Fundação Educacional de Penápolis (Funep), Fábio Gimenez; do delegado de Polícia Marcelo Curi, representando a Delegacia Seccional de Polícia de Araçatuba; o auditório do Sest Senat, recebeu os representantes e servidores das secretarias municipais de Assistência Social, de Educação, de Saúde e de Segurança, além de representatividades da sociedade civil.

Dal Ben explicou que a Defensoria fez o primeiro evento do gênero em 2018, chamando toda a rede municipal de atendimento e população em geral. Na primeira edição, foi também realizada oficina com os principais integrantes de órgãos da rede municipal, dos órgãos estaduais, como as polícias Civil e Militar, quando então compartilharam idéias para o fortalecimento do que chamou de Rede de Enfrentamento À Violência.

Desde então a Rede vem se reunindo e tem como um de seus eixos dessa reunião, desde março de 2018, a capacitação de servidores públicos municipais e população para que possam replicar as idéias e práticas. “Foi nesta oportunidade que surgiram as sugestões de chamar a Funep, e o Sest Senat, que ofereceu o espaço, planejando um curso que pudessem dar os conceitos fundamentais e teóricos, para que as pessoas compreendam a temática do feminismo, compreendam a questão do gênero, tão abordada na atualidade”, lembrou Dal Ben.

O defensor público ainda citou a parceria com Jamilly Nicolete na formatação das seis aulas que compõem a capacitação, cuja primeira aula visa também divulgar, dar publicidade e chamar a população a participar. “Não tem pré-requisito teórico para estar aqui, é gratuito, não precisa ter nenhuma formação. A ideia é ser um momento de divulgação de questões teóricas para formar replicadores em UBS, CRAS, unidades de saúde, de educação e de assistência social, bem como de segurança. Lá na ponta eles vão realizar atendimento à população e, tendo esses conceitos básicos, iniciais teóricos, eles prestarão um atendimento com melhor qualidade, livres de pré-julgamentos sobre as vítimas que buscam ajuda, podendo apoiar, atender, dar um encaminhamento para conhecer a rede”, finalizou.

Edna flor qualifica o projeto como de importância fundamental. “Na medida que os técnicos e as pessoas envolvidas se capacitam, fica muito mais fácil fazer esse enfrentamento, buscar os órgãos competentes e ter uma política eficaz de combate a essa violência, que perpassa por séculos e ainda hoje é perpetuada, sobretudo nos números, tão altos e significativos, de mulheres vitimas de violência”, considera.

 

PROGRAMAÇÃO

A Capacitação e Formação para a Não Violência Contra a Mulher terá como palestrantes:

Joice Cozza “Papéis Sociais” – 14/02;

Thiago Mazucato “Corpo” – 20/03;

Rita Borges “Assédio/Violência” – 17/04;

 

Wesley Chotolli “Sexualidades” – 22/05; e

Brenda Siqueira “Pautas das Mulheres (Negras)” – 19/06.


Compartilhe esta notícia!