Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

Nessa semana foi reinaugurada a base brasileira na Antártica. Batizada de Estação Antártica Comandante Ferraz, a estrutura fica localizada na Ilha Rei Jorge, na Baía do Almirantado, e foi viabilizada com investimentos de US$ 100 milhões. O araçatubense Edwaldo Costa, que é jornalista (com pós-doutorado) e 1º tenente da Marinha, integrou a equipe de cobertura do evevento histórico e fez questão de marcar a presença da cidade. O oficial colocou uma placa com o nome de Araçatuba e a distância entre a cidade e o Continente Gelado. Além disso, fez questão de levar uma bandeira de sua cidade natal.

A nova estrutura abrange 17 laboratórios, que abrigarão projetos de pesquisa e experimentos de diferentes disciplinas. O início das pesquisas foi marcado pelo lançamento de um balão meteorológico. Os dados coletados vão ser aproveitados para a análise da dinâmica atmosférica do local e suas interações com a América do Sul.

A cerimônia de inauguração foi presidida pelo Vice-Presidente da República, Hamilton Mourão, e contou também com a participação do Ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva; da Infraestrutura, Tarcísio Gomes; e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes; além de outras autoridades civis e militares.

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, destacou o papel da nova base para o desenvolvimento científico e para aspectos diversos, como a melhoria das atividades de previsão do tempo para o Brasil e a América do Sul.

“O plano de ação da ciência antártica para o Brasil terá melhores condições para desenvolver programas científicos que aumentem a participação brasileira no sistema do trabalho antártico, que envolve além do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais e Fundação Oswaldo Cruz, de 13 universidades, contando com 250 pesquisadores”, comentou o vice-presidente.

O comandante da Marinha do Brasil, Ilques Barbosa, ressaltou a importância da presença brasileira por meio da reconstrução da base tanto para experiências científicas quanto para participar da governança da região.

“A base possibilitará a presença brasileira em uma plataforma sustentável que permitira conhecer melhor este enorme continente de características ímpares, bem como reafirmar compromisso do Brasil como membro consultivo do tratado para participar das decisões sobre os destinos dessa região”, pontuou.

 

Início das pesquisas

Após a cerimônia principal, foi realizada a inauguração da ala de laboratórios “Professor Doutor Rocha Campos”. Na ocasião, também foram lançados pelo Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações um selo personalizado e um carimbo comemorativo, alusivos à estação.

Em discurso, o Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, destacou a importância da nova infraestrutura para a ciência brasileira. “A área de pesquisas foi projetada para atender a uma multiplicidade de exigências, denotando a prioridade dada ao Programa Antártico Brasileiro, que proporcionará aos pesquisadores plenas condições de desenvolver atividades em diversos campos científicos, com protagonismo mundial.”

Ao final da cerimônia foi realizado o descerramento da placa de inauguração da ala de laboratórios.

 

Histórico

A Estação Comandante Ferraz foi criada em 1984. Passou por ampliações em anos seguintes, como em 1985 e passou a ser ocupado durante todo o ano. Em razão da sua atuação, o Brasil foi incorporado como membro consultivo do Tratado da Antártica.

Em 2012, a base foi atingida por um incêndio de grandes proporções. Na ocasião, dois militares morreram e 70% das suas instalações foram perdidas. O novo prédio foi erguido ao lado da atual base, que tem estrutura provisória. (Com informações da Agência Brasil e da Marinha)

 

ARAÇATUBENSE

O araçatubense Edwaldo Costa já serviu em Corumbá, Cuiabá e Brasília. Participou da força tarefa em Roraima durante período mais crítico da crise na Venezuela. Em entrevista ao jorna O LIBERAL, Edwaldo Costa disse que comemorou o aniversário de 38 anos, dia 9 de janeiro, de forma bem agitada, a bordo Almirante Maximiano. Ele não se referia a nenhuma festa, mas sim ao fato de fazer aniversário durante a travessia do Estreito de Drake, ” o mar mais perigoso do mundo”, como fez questão de frisar.

a8 navio


Compartilhe esta notícia!
Mostrar mais
Carregar mais em Araçatuba

Veja também

Turismo cresce 2,6% em 2019

Compartilhe esta notícia!CECÍLIA MNELO/,MTUR – SÃO PAULO O índice de atividades turí…