Compartilhe esta notícia!

ANTÔNIO CRISPIM – ARAÇATUBA

A  Avenida Saudade é um importante acesso à região central de Araçatuba para quem está chegando à cidade, como também para a Rodovia Marechal Rondon, mas quem está saindo. Além disso, nesta avenida estão grandes estabelecimentos e supermercados. Mesmo com o intenso movimento, o baixo número de redutores de velocidade, como lombadas e semáforos facilita o excesso de velocidade. Quem transita com frequência pela Saudade já presenciou acidentes ou situações de risco devido à alta velocidade. Nesse fim de semana foram dois acidentes graves, em um deles, um motociclista morreu. A Secretaria de Mobilidade Urbana precisa agir para evitar novos acidentes.

Os acidentes de menor gravidade, sem vítimas (apenas danos) são frequentes e fazem parte da rotina de quem trafega pelo local com frequência. Mesmo sendo uma região residencial, a Saudade tem vários estabelecimentos empresariais, o que aumenta o fluxo de veículos saindo ou entrando em garagens. Os pequenos choques ocorrem com relativa frequência e a maioria ponta o excesso de velocidade como principal causa destas ocorrências.

No  trecho entre a Rua Cussy de Almeira e a rotatória da Avenida Joaquim Pompeu de Toledo, a Avenida Saudade tem semáfoto na Cussy de Almeida e na Cristiano Olsen. Depois, tem obstáculo apenas em frente a uma escola. Com longa distância, sendo via preferencial e sem qualquer redutor, os motoristas abusam da velocidade, gerando insegurança aos usuários.

 

MEDIDAS

Para pessoas que transitam com frequência na Saudade, o ideal seria construção de obstáculo próximo ao cruzamento com a Rua Chiquita Fernandes ou até mesmo mais de um obstáculo para forçar os motoristas a reduzirem a velocidade.

 


Compartilhe esta notícia!