Compartilhe esta notícia!

ANTÔNIO CRISPIM – ARAÇATUBA

Desde que assumiu a administração de Araçatuba em 1º de janeiro de 2017, o prefeito Dilador Borges vem investindo em determinados setores, com destaque para a saúde, educação e mobilidade urbana, com serviço sistemático de tapa-buracos, além de elevados investimentos em recapeamento e abertura de avenidas. A cidade está com várias frentes de serviço em diferentes pontos da cidade.
Além do elevado número de obras, o prefeito tem procurado investir na melhoria do atendimento ao público, com reforma e construções em escolas, capacitação de professores, reforma e construção de unidades de saúde, melhorando as condições de trabalho e atendimento à população.
Ao iniciar o último ano do mandato, o prefeito concedeu entrevista ao O LIBERAL REGIONAL e citou importantes conquistas. Falou também sobre desafios. Lembrou a questão do novo terminal rodoviário e do zoológico municipal, que constam no plano de trabalho. Dilador evitou falar sobre candidatura. Quer foco no último ano de mandato.

Ao iniciar o último ano do mandato, qual o maior desafio?
Nós temos desafios todos os anos, a gente monta um plano de governo e vamos ao longo do ano priorizando e lutando para executar. Por ser este o quarto ano de mandato, estamos mantendo o foco e visando executar o que está dentro no nosso alcance, meu e da Edna. O que posso dizer é que priorizamos bairros que foram esquecidos por 20, 30 anos. Além disso, a Saúde e Educação foram sempre bem amparados por nosso governo. Fizemos mudanças cruciais como mudar o Pronto Socorro de local, temos UBSs com atendimento em horário estendido.

Ao avaliar os três anos de governo, cite cinco importantes conquistas.
É sempre difícil pontuar. As demandas da nossa cidade são muitas, mas acredito que na infraestrutura conseguimos avançar bastante com a pavimentação da Avenida Juscelino Kubitschek, vamos asfaltar bairros que há anos esperam por isso como Mão Divina, Esplanada, Água Branca. Na Educação vamos ter ar condicionado em 100% das escolas até o final do primeiro semestre, material escolar no primeiro dia de aula, escolas reformadas com quadras para as crianças. Na Saúde, conseguimos abrir todas as UBSs que estavam fechadas. Conquistamos a Área do Parque da Fazenda, trouxemos a ABQM (Associação Brasileira dos Criadores de Cavalo Quarto de Milha) para Araçatuba, novas empresas aéreas operando na cidade. Foram muitas coisas e me sinto feliz por isso.

Avalia que está cumprindo o plano de governo? O que está faltando e por que não foi feito?
Nossa avaliação é positiva. Resolvemos problemas graves que tínhamos na cidade. O que não conseguimos cumprir, estamos em fase de andamento. Nada está parado. Dou como exemplo da Rodoviária que estamos aguardando a liberação do local para que tenhamos uma rodoviária em local viável e o outro é o zoológico, tivemos o apoio do curso de arquitetura da UniToledo, que fez um projeto lindo. Portanto, já temos o projeto em mãos e estamos correndo atrás de recurso.

O que gostaria de ter feito nestes primeiros três anos e não fez. Por quê?
Fizemos tudo o que é possível fazer no setor público. Na administração pública a gente faz o que a lei permite, tudo leva tempo por que você precisa seguir o rito. Nós trabalhamos muito para que os projetos saíssem do papel e conseguimos. O que não foi feito, está em fase de projeção para ser executado, como a rodoviária e zoológico.

Na sua avaliação, qual o maior feito de seu governo?
Infraestrutura, afinal Araçatuba precisava voltar a se desenvolver. Uma cidade que você passa 20 anos longe e quando volta tem as mesmas ruas, as mesmas empresas, é uma cidade sem progresso. Nós fizemos diferente, avançamos a abertura de novas avenidas, liberamos áreas para instalação de empresas nos Parques Industriais, trouxemos novas empresas aéreas para facilitar o fluxo de pessoas que vêm para nossa cidade, trouxemos grandes eventos, fizemos parcerias com o Governo do Estado para fomentar o Turismo. Tudo isso oxigena a cidade.

O que ainda não fez e que pretende fazer neste último ano de mandato?
Neste último ano fazer executar o que está programado e vamos buscar recurso para viabilizar o que já tem projeto pronto. Não pararei de trabalhar até o último dia. Por ser ano eleitoral a gente fica restrito em alguns momentos, vamos respeitar as leis, mas um administrador de uma cidade jamais fica parado.

Em eventual segundo mandato, qual será a grande obra que pretende executar?
Neste momento prefiro focar no atual mandato. Fazer o máximo para cumprir com os compromissos assumidos.


Compartilhe esta notícia!