Compartilhe esta notícia!

ARNON GOMES – PENÁPOLIS

Foi definida ontem a empresa que construirá a rotatória e acessos no quilômetro 2 + 070 da Rodovia 2º Sargento PM Luciano Arnaldo Covolan (SPA-486/300), em Penápolis. Caberá à Viamari Engenharia e Construção, da própria cidade, a execução da chamada “Rotatória da Bonolat”, após vencer concorrência pública.
O anúncio da homologação do processo licitatório foi feito pelo prefeito Célio de Oliveira (sem partido) no começo da tarde dessa segunda-feira. Segundo ele, devido à “acirrada disputa” na licitação, a obra sairá por um valor abaixo do previsto inicialmente: R$ 3.097.328,97. Além da vencedora, outras três empresas participaram da concorrência.
Em agosto, quando esteve município para formalizar o convênio do Estado com a Prefeitura, o vice-governador Rodrigo Garcia (DEM) havia autorizado um investimento de R$ 3,7 milhões.
Célio informou que, conforme o contrato, a empresa terá até seis meses para realizar os trabalhos, que terão início a partir da emissão da ordem de serviço, em data ainda a ser confirmada. O chefe do Executivo ressaltou que, como a Prefeitura trabalha no prolongamento da avenida Rita de Aguirre Monteiro, acesso alternativo à Bonolat, a fábrica de laticínio começará a sua produção até fevereiro de 2020.
“E vai utilizar espaço que estamos fazendo especialmente para funcionários e colaboradores da Bonolat. Quando ficar pronta a rotatória, os caminhões, com a chegada de leite e a saída da produção, vão se utilizar da rotatória, enquanto carros, motos, bicicletas e pedestres vão utilizar da via marginal que estamos fazendo com recursos próprios”, explicou o prefeito, destacando que o município tem feito asfalto, guias, sarjetas e rampas, além de instalado iluminação. Essa obra, disse ele, deve ser encerrada paralelamente à conclusão da rotatória.

UM ANO
O desfecho da licitação no último dia útil de 2019 na Prefeitura encerra com um “final feliz” um ano no qual Célio esteve perto de perder esta que é considerada uma das principais obras de seu governo. Logo em janeiro deste ano, o governador João Doria (PSDB) incluiu a Rotatória da Bonolat em um pacote de rescisões contratuais em todo o Estado com o objetivo de cortar gastos.
A retomada do convênio se deu após diálogos de Célio com Rodrigo Garcia, seu ex-colega de partido – hoje, não filiado a nenhuma agremiação partidária, o prefeito de Penápolis militou, durante a maior parte de sua trajetória política, no antigo PFL (atual DEM). “Por tudo isso, meu sentimento é de gratidão”, disse Célio Garcia, quando o vice-governador esteve na cidade, há exatos quatro meses.
No entanto, antes desse impasse, o município teve que fazer adequações ao projeto. O projeto da rotatória começou a ser feito em 2015, mas, para a efetivação da doação de área no distrito industrial para instalação da empresa, foi necessária a assinatura de TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) com o Ministério Público.

EMPREGOS
Com o pleno funcionamento da fábrica, a expectativa é de que sejam gerados cerca de 300 empregos diretos e até 600 indiretos. De imediato, serão produzidos cerca de 500 mil litros de leite por dia. Mas, nos planos, está a meta de se alcançar até um milhão de litros produzidos diariamente. Com as atividades da fábrica, outra estimativa é de que de 70 a 80 caminhões, por dia, trafeguem pelo local para escoar a produção. Daí, a necessidade da rotatória.


Compartilhe esta notícia!