Compartilhe esta notícia!

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

137 dias depois de ter a sua casa destruída pelo fogo em um incêndio, a moradora Luana Aparecida Queiroz, de 34 anos, e suas filhas Ithala Gabriely Queiroz de Oliveira, de 15, e Lorena Gabriely Queiroz, de 5, voltaram para o mesmo endereço onde tudo aconteceu, mas agora com um cenário completamente diferente.
O que era um local destruído, com telhas e paredes comprometidas, deu lugar a uma casa completamente reconstruída e uma felicidade sem igual.
A reconstrução foi possível graças a um trabalho solidário realizado pela Paróquia Senhor Bom Jesus da Lapa, de Araçatuba, na qual a adolescente Ithala foi coroinha na Comunidade Santa Luzia, que faz parte da paróquia e fica no bairro de mesmo nome.
Em reportagem publicada no dia 25 de agosto deste ano pelo jornal O LIBERAL REGIONAL, o pároco da paróquia, Padre Orivaldo Pereira Filho, afirmou que através da publicação da informação sobre o incêndio na edição do dia 13 de agosto no jornal, muitas pessoas se sensibilizaram e passaram a doar alimentos e móveis para a família que havia perdido praticamente tudo com o incêndio, ocorrido no dia 11, na noite do dia dos pais.
Após doações de todos os tipos e um trabalho em tempo recorde de reconstrução a partir do início da obra, a casa, que fica na Rua João Gonzales Munhoz, no Bairro Santa Luzia, foi novamente entregue para a família na última quinta-feira.
No final da tarde de sexta-feira, após chegar do trabalho em uma empresa de entrega de marmitas, Luana recebeu na nova casa a reportagem do Jornal O LIBERAL REGIONAL e contou que durante os últimos 4 meses e meio ficou com suas duas filhas na casa de sua mãe, com outras 5 pessoas, enquanto o imóvel era reconstruído. “Às vezes, eu mesmo, não sei as minhas filhas, não acreditava que a gente ia ter nossa casa de volta, pensava ‘nossa, meu Deus, será que vou ter que ficar o resto da minha vida na casa da minha mãe?’ Eu tenho duas filhas moças, a nossa privacidade, eles têm a vida deles. Mas aí vieram esses anjos, porque eles foram anjos nas nossas vidas, todos… Muita gente doou, muita gente ajudou, só tenho a agradecer”, afirmou Luana, sentada no novo sofá de sua casa, fruto das doações feitas à paróquia.
Luana disse que ficou muito ansiosa enquanto a casa estava sendo reconstruída e se emocionou ao falar sobre a volta ao lar. “Você ver sua casa de volta, a alegria dos filhos (começa a chorar), é muito bom. Ficou maravilhoso, nunca imaginava que minha casa ia ficar assim, eu nem acredito, está muito linda. Só tenho que agradecer, não tenho nem palavras”, completou Luana, emocionada.
Casa foi reconstruída em 36 dias após as doações

A3 Casa Santa Luzia Incêndio Padre Orivaldo - Diego Fernandes] (3).jpg
De acordo com Álvaro Teixeira, catequista da paróquia que ficou responsável por todo o processo de reconstrução da casa, foram muitas as doações para que o trabalho fosse possível. O Bazar do Prato Pronto, evento realizado pela igreja no último dia 10 de novembro, também divulgado pelo jornal O LIBERAL REGIONAL, arrecadou dois terços do valor utilizado para as obras. “Eu contabilizei pelo menos 45 pessoas, empresas ou grupos que ajudaram. No Bazar do Prato Pronto não dá para precisar, mas arriscando até errar, eu diria que centenas de pessoas contribuíram. São centenas de pessoas que se transformaram em centelhas de vida, amor e caridade”, disse Álvaro.
O catequista afirmou que todo o processo começou com a arrecadação de alimentos, roupas, móveis e utensílios domésticos. Na sequência, foram doados materiais de construção por várias empresas, inclusive com apoio do Fundo Social de Solidariedade da Prefeitura Municipal de Araçatuba. “Cal, areia, cimento, pedra, madeira, materiais elétricos, tudo foi doado, tudo que é necessário para reconstruir uma casa do zero, porque aqui ficou só cinzas, somente as paredes ficaram de pé”, afirmou.
Álvaro contou à nossa reportagem que a obra foi começada e terminada em apenas 36 dias. “Ao invés de optarmos pelo sistema de mutirão, como nós tínhamos pressa na entrega da obra, até pela situação difícil que a Luana estava passando, nós optamos por tentar arrumar dinheiro para pagar a mão de obra profissional de um construtor e de um pintor. Esses valores foram levantados com o Bazar do Prato Pronto e posteriormente com doações”, contou Álvaro, que calcula que a mão de obra tenha custado entre R$ 25 mil e R$ 27 mil reais.
Padre agradece O LIBERAL e afirma que reportagem sensibilizou doadores
O Padre Orivaldo Pereira Filho, titular da paróquia, afirmou se sentir feliz com o resultado final da obra. “Hoje ao olhar para elas nós nos sentimos gratos por ter tido essa força do Espírito Santo. Foi Ele que nos deu força para reconstruir tudo de novo”, afirmou agradecendo, dentre outros nomes, a reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL pela sensibilização de vários leitores. “Agradeço o jornal O LIBERAL, porque a vossa cobertura sensibilizou muitas pessoas que por meio da reportagem foram tocados a nos ajudar também. Receba a nossa gratidão, vocês estão sempre conosco nas nossas atividades”, completou agradecido o Padre.
O Incêndio
A casa de Luana, Ithala e Lorena pegou fogo no dia 11 de agosto, na noite do Dia dos Pais, por volta das 20h15, quando ocorreu um curto-circuito. De acordo com Luana, a fiação elétrica do imóvel já estava comprometida e o incêndio acabou acontecendo antes que as providências fossem tomadas.
Segundo a moradora, o curto-circuito ocorreu na sala e o fogo se espalhou pela casa toda. “Pegou fogo nas cortinas, quando a gente viu já tinha incendiado tudo. Da cortina da sala já passou pra cortina do quarto das crianças, e a gente tudo aqui fora na rua, mas até então a gente só estava sentindo o cheiro de queimado, ainda não tínhamos visto o fogo. Até que minha filha entrou lá dentro pra pegar o celular da minha outra filha, foi quando explodiu a televisão”, contou à reportagem.
Além de perder a casa e todos os móveis, a família também perdeu o cãozinho de estimação, Bob, que morava no local há cerca de uma década. Segundo Ithala, a filha mais velha de Luana, o animal de estimação costumava frequentar o seu quarto e estava embaixo da cama no momento em que o fogo se alastrou. O cachorro não conseguiu sair a tempo e parte do telhado e do madeiramento caiu sobre ele. “No máximo em 5 minutos já tinha acabado com tudo, com o telhado, dava pra escutar caindo as coisas dentro de casa, foi muito rápido”, conta Ithala, que foi quem entrou primeiro na casa. Segundo ela, a ação rápida do Corpo de Bombeiros evitou algo pior, já que o botijão de gás que havia na residência não chegou a ser atingido pelo fogo.
Missa marcou a entrega da casa

A3 Casa Santa Luzia Incêndio Padre Orivaldo - Diego Fernandes] (1).jpg
Foi realizada na noite da última sexta-feira, uma missa de ação de graças, precedida pela reza do terço, na Capela Santa Luzia, que faz parte da Paróquia Bom Jesus da Lapa. A celebração religiosa marcou a benção e a entrega oficial do imóvel reconstruído para a família.
Durante a missa, os fieis se deslocaram da Capela até a residência, que fica há poucos metros. Com velas e entoando louvores, a comunidade adentrou a casa para a finalização da celebração.

 

A3 Casa Santa Luzia Incêndio Padre Orivaldo – Diego Fernandes] (1)
AGRADECIMENTO – Cerimônia religiosa marcou a entrega da casa e a conclusão do trabalho
DIVULGAÇÃO


Compartilhe esta notícia!