AraçatubaCidades

Diretores do DER fazem vistoria técnica em ponte interditada

ANTÔNIO CRISPIM – ARAÇATUBA

Desde o dia 10 de setembro a ponte sobre o Rio Aguapeí, no quilômetro 348 da Rodovia Assis Chateaubriand (SP 425), entre os municípios de Santópolis do Aguapeí e Rinópolis, está interditada. A interdição foi determinada pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER). Com isso, os milhares de veículos que passavam pela via diariamente tiveram de buscar alternativas, aumentando a distância em até 200 quilômetros. Nesta semana surgiu um fato novo. O superintendente do DER engenheiro Paulo César Tagliavini e os diretores regionais de Araçatuba, Carlos Eduardo Valdiviezo e de Presidente Prudente, João Augusto Ribeiro fizeram visita técnica à ponte. A assessoria da Secretaria de Logística e Transporte confirmou a visita, mas não revelou os motivos e qual foi a avaliação feita.
A interdição, que mexe com milhares de pessoas, foi comunicada no dia 6 de setembro à noite. Portanto, pegou muita gente de surpresa. As consequências e reações foram imediatas. Em menos de um mês, o movimento de postos de combustíveis desabou. O Posto Moinho, em Rinópolis, reduziu o quadro em mais de 60%. Além disso, estabelecimentos que funcionavam no pátio do posto, como borracharia, restaurante e loja de calçados fecharam e mais de 30 pessoas foram desempregadas. Outros estabelecimentos foram atingidos.
O prefeito de Rinópolis, Jose Ferreira de Oliveira Neto (PV), buscou apoio do deputado Mauro Bragato (PSDB), da região de Presidente Prudente. Neto e Bragato estiveram com o superintendente do DER, Paulo César Tagliavini, oportunidade que explanaram sobre as graves consequências com a a interdição da ponte.

VISITA TÉCNICA
Nessa semana, Paulo César Tagliavini e os diretores regionais do DER, Carlos Eduardo Valdiviezo (Araçatuba) e João Augusto Ribeiro (Presidente Prudente), visitam o local. Foram recebimentos pelos prefeitos Jose Ferreira de Oliveira Neto (Rinópolis) e Euclásio Garruti (Democratas), de Piacatu, além de vereadores das duas cidades e empresários, como José Carlos Prata, do Posto Moinho. “A comitiva, antes de ir à ponte, passou pelo posto para ver situação”, disse José Carlos Prata, que também foi à ponte.
Os engenheiros do DER percorreram a extensão da ponte e analisaram em detalhes a estrutura. “Ele (Paulo César Tagliavini), nos disse que teríamos novidade em dias. Mas não falou o que era”, disse José Carlos Prata.
Para o empresário, que está estabelecido no local há 16 anos, jamais houve qualquer problema estrutural na ponte. “O problema que teve foi na pista. Por isso entendemos que deveria ser feito trabalho de recuperação da pista e até mesmo limitar o peso de veículos, se for o caso, para não prejudicar todos”, disse o empresário, que está na expectativa de uma decisão favorável.
INVESTIMENTO
Para reduzir a distância do desvio, o DER está investindo mais de R$ 4 milhões na pavimentação de uma estrada vicinal que contorna Piacatu e dá acesso à SP 425. Porém, a obra vai demorar meses para ser concluída.
Quanto à nova ponte, o investimento previsto é de R$ 11 milhões. Porém, vai ser contratada empresa para elaborar o projeto e depois abrir a licitação. Após a assinatura do contrato, o prazo de conclusão é de 18 meses.

 

Comment here