AraçatubaCidades

Márcio Saito: vocação para a educação

ANTÔNIO CRISPIM – ARAÇATUBA

O comissário-geral da Agência Reguladora Daea, Márcio Saito, é araçatubense e tem forte atuação na área educacional. Porém, também é militante político e primeiro suplente de vereador pelo PSDB e chegou ocupar a cadeira durante o período em que Tieza Marques foi secretária da Educação. Aos 55 anos de idade, mesmo na agência, Saito tem atuação na área educacional, voluntário em igreja e é rotariano.
Saito é tecnólogo em Processamento de Dados pela Universidade Mackenzie (SP), tem pós-graduação Lato Sensu em Análise e Projeto de Sistemas pela Universidade Paulista – Unip (campus Paulista) e cursou os créditos e qualificou a dissertação no programa de mestrado de Engenharia de Produção – linha de pesquisa: Ecologia Industrial na Unip (campus Indianópolis).
“Iniciei minha carreira no Colégio Objetivo (1983-84) em São Paulo, trabalhei no Colégio Objetivo (1985) em Araçatuba, no Banrisul Processamento (1988-89), na AESA – Associação Educativa Superior de Araçatuba (1990-97), na Universidade Paulista – Unip (1998-2003), franqueado MicroWay em Goiânia (2004-05) e retornei para a Unip em 2006, onde trabalho atualmente como assistente de direção do campus de Araçatuba”, afirma Márcio Saito.
No período de 2002 a 2017 coordenou vários projetos voluntários do programa Mãos que Ajudam mantido pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Também é sócio-fundador do Rotary Club Araçatuba Alvorada.
“Tenho plena consciência da importância e responsabilidade que a Agência Reguladora e Fiscalizadora de serviços públicos de saneamento básico possui para a garantia da coleta, tratamento e distribuição de água com a potabilidade exigida para o consumo humano e da coleta e tratamento do esgoto urbano para manter a sustentabilidade do ciclo natural da água. É sem dúvida, o serviço essencial para a saúde e sobrevivência humana e manutenção de toda atividade econômica do município e a Agência trabalha para que a concessionária cumpra o fornecimento de água com qualidade, colete e trate o esgoto urbano, dê a destinação apropriada dos resíduos, persiga a eficiência energética e reduza a perda de água”, afirma Saito.
Segundo o comissário-geral da Agência Daea, o Brasil possui índice preocupante em relação à distribuição de água tratada. Aproximadamente 83% dos brasileiros possuem acesso à água potável, mas 17% que são 35 milhões de pessoas ainda carecem deste serviço. “A situação da coleta e tratamento de esgoto é trágica, pouco mais da metade (52,3%) tem o esgoto coletado mas somente 46% é tratado devidamente, estamos falando de quase 100 milhões de brasileiros cujo serviço de esgotamento sanitário inexiste”.
“A realidade de Araçatuba contrasta comparado ao cenário do país onde 100% da população consome água potável, recentemente ocorreram ações para que a qualidade da potabilidade fosse melhorada: construção da adutora que fornece água tratada na ETA 3 para o bairro de Engº Taveira e instalação de um dosador de cloro no reservatório rural da Jacutinga. Em relação ao esgoto, mais de 99% da população possui o esgoto coletado e tudo o que é coletado é tratado na ETE Baguaçu, até o final do ano o sistema de reversão do esgoto da bacia do córrego dos Espanhóis e córrego Tropeiros será completado com a construção do emissário que enviará o esgoto coletado de Taveira para a Estação Elevatória Maria Izabel onde será recalcado para a ETE Baguaçu. Só não atingimos 100% da coleta e tratamento de esgoto por conta de pequenos aglomerados rurais do município, mas já está em curso um projeto que deverá solucionar o esgotamento sanitário nestas comunidades”, acrescenta o comissário.
Para Márcio Saito, como profissional acadêmico, sempre teve interesse em práticas sustentáveis. “Na universidade implantamos um programa de coleta seletiva de papel em 2006. Escolhi o programa de mestrado de Ecologia Industrial que pesquisasse práticas de desenvolvimento sustentável e na minha passagem pela Câmara Municipal no início desta legislatura (2017 e 18), presidi a Comissão Permanente de Infraestrutura Urbana e Desenvolvimento Rural, fui membro atuante da Comissão Permanente de Meio Ambiente e Sustentabilidade e fiz parte da Comissão Especial que questionava o cumprimento contratual da concessão do tratamento da água e do esgoto, nela pude conhecer o Contrato de Concessão, os anos iniciais do cumprimento das metas contratuais e a transferência da concessão para o grupo GS Inima devido a incapacidade de investimentos apresentada pela primeira concessionária”, enfatizou.
Na sua avaliação, o Brasil precisa priorizar e prover recursos para execução das obras de saneamento básico. “Obviamente que o foco atual são as reformas da previdência e tributária que promoverão o ajuste fiscal das contas públicas a fim de garantir segurança jurídica e reversão de orçamentos deficitários para superavitários. Como é um processo em curso e a reação decorrente destas reformas surtirão consequências em médio e longo prazo, o novo marco regulatório do saneamento básico prevê a participação mais efetiva do setor privado a fim de acelerar o cumprimento da meta de universalização do saneamento no país, visto que possui mais agilidade em captar recursos e na tomada de decisões”, diz.
ATENDIMENTO
“Gostaria de enfatizar sobre uma das funções da Agência Reguladora como recurso da população no caso de insatisfação dos serviços prestados pela concessionária. Lembrar que as queixas devem ser feitas primeiramente à concessionária do serviço, neste caso à Samar que gerará um protocolo de serviço e que deverá solucionar a reclamação. No atraso, não cumprimento de prazo ou má execução poderá recorrer à Ouvidoria da SAMAR, se persistir o problema, a Agência Reguladora poderá ser acionada a fim de que haja uma solução satisfatória”, afirma o comissário.
CONSCIENTIZAÇÃO
“A população também deve fazer uso consciente e racional da água, evitar o desperdício deste recurso tão precioso. Não descartar óleo saturado, resto de alimentos, medicamentos vencidos, papel higiênico, fraldas descartáveis, absorventes e outros objetos e produtos na rede de esgoto que frequentemente têm obstruído nossos ramais e emissários, consequentemente há o extravasamento pelos PV´s (Poços de Visita). Evitar ligações de águas pluviais (chuva) na rede de esgoto, a água de chuva deverá ser encaminhada para saída junto à guia da sarjeta”, acrescentou.
“Por fim, reafirmamos que Araçatuba está entre os 30 municípios brasileiros Rumo à Universalização dentre 243 cidades com mais de 100 mil habitantes, avaliado pela ABES – Associação Brasileira de Engenharia e Saneamento e pelo 2º ano consecutivo é reconhecida por estar muito próxima de ter 100% de água trata e distribuída e 100% de coleta e tratamento de esgoto”, garantiu.
POLÍTICA
Quanto à atividade política, Saito admite que pode ser candidato em 2020. “Estou no cumprimento de mandato na Agência Reguladora e pretendo ir até o final. Candidatar-me na próxima eleição em 2020 requer a descompatibilização do cargo como comissário geral da agência, mas ciente do novo cenário sem as coligações para vereadores em que os partidos precisarão arregimentar candidatos com maior potencial de votos, coloquei-me à disposição do partido”.
FAMÍLIA
Márcio Saito é casado com a doutora Lilian Ludwig Saito (cirurgiá-dentista e psicóloga). O casal tem dois filhos: Daniel Ludwig Saito (cursando Ciência da Computação) e Lucas Ludwig Saito (cursando Administração).

Comment here