AraçatubaCidades

Secretárias visitam escola e explicam sobre a campanha ‘Dar esmola não alimenta’

DA REDAÇÃO – BIRIGUI

A secretária municipal de Assistência e Desenvolvimento Social de Birigui, Eliane Cristina Segura, e a secretária municipal de Educação, Meiriane Beltran, visitaram na manhã desta quinta-feira (15) , a Escola Municipal (EE) Roberto Clark.
As secretárias estavam acompanhadas da psicóloga e coordenadora do Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro POP), Ana Lúcia Vizioli Hashimoto. Elas foram recebidas pela diretora da EE Roberto Clark, Sandra Maria de Carvalho Valera.
A visita serviu para orientar alunos sobre a campanha “Dar Esmolas não Alimenta”, que teve início em Birigui em maio deste ano. A campanha cumpre determinação da Lei nº 6.589/2018, que tem por objetivo desestimular a prática de dar esmolas, a fim de promover a conscientização da população acerca dos efeitos negativos desse costume.
Após instalar placas e distribuir panfletos educativos sobre a campanha, os envolvidos estão visitando as unidades de ensino e orientando os alunos. Os estudantes receberam o panfleto e irão entregar aos pais. A meta é orientar para que as pessoas não ajudem entregando dinheiro aos pedintes, pois essa ação alimenta o alcolismo e uso de drogas.
A lei é do Executivo, porém o prefeito Cristiano Salmeirão atendeu indicação dos vereadores José Luis Buchalla, Odair da Monza, Andrey Servelatti, Kal Barbosa e Eduardo Fonseca de Luca, o Eduardo Dentista.
“Dar esmolas em dinheiro pode contribuir com o fomento de vícios em drogas e álcool, por exemplo, sobretudo tendo em vista grupos vulneráveis, como migrantes e pessoas que vivem em situação de rua no município de Birigui”, disse a secretária municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, Eliane Cristina Segura.
“A melhor forma de ajudar e garantir o direito da população de rua é conhecer os serviços existentes no município e encaminhar essas pessoas para tais”, explicou a coordenadora do Centro POP. “A solidariedade da pessoa que quiser doar alimentos ou agasalhos pode continuar. Nosso orientação é não doar (entregar) dinheiro”, completou a psicóloga da Prefeitura de Birigui.
No município de Birigui existem dois serviços que atendem a população em situação de rua, vinculados à Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social: Centro de Referência Especializado para Pessoas em Situação de Rua( Centro POP) e o Abrigo Institucional para pessoas em situação de rua.

CENTRO POP
O serviço é ofertado para pessoas que utilizam as ruas como espaço de moradia e/ou sobrevivência. Tem a finalidade de assegurar atendimento e atividades direcionadas para o desenvolvimento de sociabilidades, na perspectiva de fortalecimento de vínculos interpessoais e/ou familiares que oportunizem a construção de novos projetos de vida. Realiza encaminhamentos para toda a rede de serviços de acordo com a demanda apresentada.
O Centro POP promove o acesso a espaços para guarda de pertences, de higiene pessoal, de alimentação (café da manhã e almoço) e documentação civil. Também possibilita o banho e a lavagem de roupas.
Atende adultos (homens e mulheres), idosos e famílias que utilizam as ruas como espaço de moradia e/ou sobrevivência.
Está localizado na rua Roberto Clark, nº 236, Centro. O telefone para contato é (18) 3644-4387. Funciona de segunda-feira à sexta-feira, das 8h às 17h.

ABRIGO INSTITUCIONAL
O Serviço de Acolhimento Institucional, através do Abrigo, oferta atendimento integral e ininterrupto (24 horas) que garanta condições de estadia, convívio, endereço de referência, para acolher com privacidade pessoas em situação de rua e desabrigo por abandono, migração, ausência de residência ou pessoas em trânsito e sem condições de autossustento. O serviço tem como objetivo principal atender de forma qualificada e personalizada de modo a promover a construção conjunta com o usuário do seu processo de saída das ruas, com dignidade e respeito a sua vontade e nível de autonomia.
É fundamental articular benefícios, projetos, programas e serviços da Política de Assistência Social, bem como de outras políticas, a fim de promover atenção integral a esta população, que teve uma vida marcada pela negação de direitos.
O público que acessa os Serviços de Acolhimento é diverso, são homens, mulheres, grupos familiares com especificidade de grandes fluxos de migrantes, gays, lésbicas, transexuais, travestis, que fazem das ruas a sua morada.
O acolhimento da pessoa em situação de rua somente se dará através de referenciamento pela equipe técnica no Centro POP e análise do perfil.
Está localizado na Avenida João Cernack, S/N, esquina com a rua Santa Tereza, na Vila Troncoso. O telefone para contato é (18) 3644-1236. Funciona todos os dias da semana (ininterrupto).

 

 

Comment here