Araçatuba

Mobilidade Urbana estuda medidas para conter acidentes na Fundadores

Quem trafega pela rua dos Fundadores ou pela Avenida dos Araçás, perto de um supermercado, percebe o grande fluxo de veículos no local, principalmente durante as primeiras horas do dia e no fim da tarde, horários de maior movimentação. Os acidentes por ali são frequentes. Mas as mortes andam preocupando a população e também as autoridades. Recentemente, o tema foi até colocado em um protesto realizado por moradores do bairro Santa Luzia, que estão cansados do que veem no local. Por isso, a Secretaria de Mobilidade Urbana estuda medidas para tentar resolver, pelo menos, alguns problemas.
Uma das soluções, segundo apurado pela reportagem seria fazer uma abertura da rua Goulart, para que o acesso à Fundadores e consequentemente até a Avenida dos Araçás tivesse o fluxo redirecionado e, assim, o fluxo diminuísse. Isso seria possível abrindo uma alternativa no canteiro central existente. A Prefeitura continua realizando estudos e levantamentos topográficos para verificar se realmente isso seria viável. Mas um problema que a Mobilidade Urbana esbarra é na questão do espaço no local, que conta com muitas construções atualmente. Apesar disso, essa hipótese não é descartada.
Uma solução mais a curto prazo seria a instalação de radares de velocidade nas imediações, fato já confirmado pela Prefeitura de Araçatuba, além de semáforos. Assim que a licitação e contratação ficarem prontas (existe a expectativa de que até setembro deste ano), um dos pontos do município que deverá receber o dispositivo será justamente esse.
É que muitos motoristas acabam abusando no limite de velocidade permitido no local, que é de 60 quilômetros por hora. O último semáforo existente no trecho é o do cruzamento da Avenida dos Araçás com a rua Vereador Silva Grota.
Na semana passada, o aposentado Juarez Silveira da Silva, de 68 anos de idade, morreu depois de ser atropelado no fim da Araçás. A vítima foi atropelada por um veículo VW/Gol. O autor do atropelamento, um idoso também de 68 anos, disse que não teve tempo para frear o automóvel e evitar a fatalidade. Silva morreu ainda no local.
Segundo o registro do boletim de ocorrência, testemunhas entraram em contradição a respeito do fato da vítima ter atravessado ou não na faixa de pedestre, já que existe esse tipo de sinalização no local do atropelamento. A partir de agora, a perícia técnica irá apontar esses detalhes por meio de um laudo que deverá ficar pronto em até 30 dias.

Vitor Moretti
Araçatuba

Comment here