Araçatuba

Após mortes no trânsito, radares de velocidade serão instalados até setembro em Araçatuba

O corpo do aposentado Juarez Silveira da Silva, de 68 anos de idade, foi enterrado por volta das 16h30 de quarta-feira (29), no cemitério Recanto de Paz, no bairro Rosele, em Araçatuba. O idoso foi a última vítima fatal do trânsito do município, que somente neste ano já contabiliza dez mortes por acidentes, três a mais do que o mesmo período do ano passado, um aumento de pouco mais de 42%. Diante de um cenário cada vez mais preocupante, a Prefeitura de Araçatuba anunciou que radares fiscalizadores de velocidade serão instalados até setembro deste ano.
Conforme noticiado na edição de ontem do jornal O LIBERAL REGIONAL, a vítima foi atropelada por um veículo VW/Gol, que trafegava pela Avenida dos Araçás, no fim da tarde de terça-feira (28). O autor do atropelamento, um idoso também de 68 anos, disse que não teve tempo para frear o automóvel e evitar a fatalidade. Silva morreu ainda no local.
Segundo o registro do boletim de ocorrência, testemunhas entraram em contradição a respeito do fato da vítima ter atravessado ou não na faixa de pedestre, já que existe esse tipo de sinalização no local do atropelamento. A partir de agora, a perícia técnica irá apontar esses detalhes por meio de um laudo que deverá ficar pronto em até 30 dias.
A morte do aposentado ocorreu poucos dias depois da morte de um ciclista na via João Cazerta, também em Araçatuba. A vítima foi atingida por um ônibus. O motorista alegou que teve a visão ofuscada pela luz solar e não conseguiu enxergar o homem na pista.

VIOLÊNCIA NO TRÂNSITO
De acordo com informações apuradas pela reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL junto ao Infosiga, de janeiro até abril, Araçatuba registrou sete mortes por acidentes de trânsito nas vias municipais e também nas rodovias. Sem levar em conta maio, a cidade já teve mais três mortes, sendo o motociclista Robson Silva, no início do mês na Avenida José Ferreira Baptista, o ciclista Djair Mutti, morto no último dia 22, e o aposentado Juarez. Sendo assim, os meses de fevereiro e maio foram aqueles que registraram mais óbitos, cada período com três mortes.
Os dados também apontam que o veículo responsável por mais mortes foi a moto. Seis pessoas perderam a vida quando estavam conduzindo ou eram passageiras. Nas duas outras posições aparecem, empatados, os pedestres e as bicicletas. Os jovens são aqueles que mais morreram em acidentes de trânsito neste ano em Araçatuba. A faixa etária com mais registros é aquela entre 25 e 29 anos de idade. Além disso, a maioria (85,71%) eram homens contra 14,29% das mulheres.
O que agrava ainda mais esse cenário é que morre-se mais dentro do município. O Infosiga traz que 57,14% dos acidentes com vítimas fatais ocorreram nas vias municipais. Já os outros 28,57% aconteceram nas rodovias da cidade.

MEDIDAS
Diante de um cenário cada vez mais preocupante, a Prefeitura de Araçatuba estuda medidas que possam tentar reduzir esses números. Uma delas, já bastante discutida há pelo menos três anos, é a instalação de radares na cidade. Durante todo esse período, nenhum equipamento do tipo funciona nas ruas e avenidas da área urbana.
Questionada sobre o prazo para quando os dispositivos deverão ser instalados, a administração municipal informou que pretende licitar e contratar o serviço até setembro deste ano. “A Secretaria de Mobilidade Urbana pretende instalar radares (medidores de velocidade) e fiscalização eletrônica de semáforo (avanço de sinal vermelho, parada sobre faixa de pedestres)”.
Já sobre as constantes reclamações a respeito do perigo existente no trecho da Avenida dos Araçás após a passagem de um supermercado, a Prefeitura informou que esse é um dos locais que vai receber a fiscalização de velocidade.

Vitor Moretti
Araçatuba

Comment here