ANTÔNIO CRISPIM – Araçatuba

Araçatuba já foi reconhecida como município de interesse turístico (MIT) por conta de suas belezas naturais, que estimulam condomínios e construções às margens de rios e importantes eventos, como a exposição agropecuária e, a partir deste ano, competições da Associação Brasileira dos Criadores de Quarto de Milha. Eventos pontuais que atraem muitos visitantes. No entanto, há outro tipo de turismo, não considerado tão glamuroso, mas de grande importância para a cidade e para quem visita a cidade. Trata-se do “turismo da saúde”, que movimenta hospitais, clínicas, laboratórios e diferentes setores do comércio. É difícil quantificar, mas estima-se, com base em diferentes fontes, que mais de duas mil pessoas visitam Araçatuba todos os dias em busca de atendimento na área da saúde, contribuindo para a oferta de postos de trabalho.
Diariamente dezenas de ambulância de cidades cidades da região chegam a Araçatuba, além de vans e ônibus. Durante três semanas, a reportagem de O LIBERAL REGIONAL acompanhou a movimentação. Em um mesmo dia chegou a contabilizar quatro veículos de Andradina (um ônibus) e cinco de Castilho (um micro-ônibus e van). Há outras cidades que usam veículos grandes, como Clementina.
Dados divulgados pela Santa Casa de Araçatuba (referência em alta e média complexidade) mostram que aproximadamente 40% do atendimento são de pacientes da região. São pacientes que raramente vêm sozinhos. No Ambulatório Médico de Especialidades (AME), são aproximadamente 500 atendimentos diários, com expressiva parcela de pacientes da região. Porém, o atendimento vai além das duas instituições. Tem também a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), Centro Especializado de Reabilitação (Apoae e Ritinha Prates), Associação dos Amigos dos Autistas, NGA, Hospital Unimed e clínicas médicas ou de exames complexos. Tudo isso atrai para Araçatuba um grande contingente diário de visitantes.
” Araçatuba registrou as maiores demandas com médias que variam de 55,47% a 64,42% em relação ao total dos atendimentos. Em seguida, vêm Birigui, Penápolis, Valparaíso, Guararapes, Santo Antônio do Aracanguá, Auriflama, Pereira Barreto e Andradina, com percentuais médios que variam entre 8,54% e 1,23% nos vários serviços especializados”, diz nota da assessoria da Santa Casa de Andradina sobre o atendimento regionalizado. A Santa Casa recebe diariamente pacientes para atendimento oncológico, hemodiálise e outros serviços especializados.
Segundo a assessoria da Prefeitura de Guararapes, em 2018 foram realizadas 4.230 viagens e 12.786 pacientes transportados. Araçatuba é a cidade que figura como principal destino dos pacientes de Guararapes. Já a cidade de Birigui transporta diariamente aproximadamente 250 passageiros. Novamente Araçatuba é um dos principais destinos. O mesmo ocorre com Andradina e Castilho, devido ao elevado número de veículos diários. Porém, estas prefeituras não responderam às perguntas formuladas.
Para profissionais do setor, o fato de ser um polo regional da área da saúde permite aos estabelecimentos de Araçatuba investimentos mais elevados em equipamentos e tecnologia, pois a demanda compensa. Há estabelecimentos de exames que funcionam das 6 horas à meia noite.
Devido ao elevado número de estabelecimentos e profissionais ligados à saúde, Araçatuba projeta-se com centro regional no setor e a tendência aumentar devido ao curso de medicina e outras iniciativas.

Comércio floresce próximo às clínicas e hospitais

Na Vila Mendonça, onde estão instaladas a Santa Casa e o AME, concentra-se a maior parte das clínicas e instituições de exame, desde os mais simples, de análises clínicas aos mais sofisticados, como ressonância magnética ou medicina nuclear. Portanto, a região recebe milhares de visitantes todas as semanas. Com este volume de pessoas, algumas áreas do comércio florescem, como estacionamentos, lanchonetes e restaurantes.
Mesmo com a zona azul, que disciplinou as vagas na região, devido ao elevado número de visitantes, começou a faltar vagas. Além de estacionamentos particulares de clínicas e laboratórios, pelo menos dois grandes estacionamentos foram implantados na Vila Mendonça: Rua Rio de Janeiro e na Rua Floriano Peixoto. O empresário e ex-delegado Eduardo Pandini comprou vários imóveis para construir o Las Vagas. À época, disse que era investimento de longo prazo.
Na área de alimentação não foi diferente. Nas proximidades do AME aumentou o comércio ambulante de alimentos e surgiu um restaurante. Já na região da Santa Casa, também houve investimentos. São dois estabelecimentos dentro da Santa Casa e vários na área externa.
O empresário João Batista Costa, depois de 30 anos na área central da cidade com o Xodó Lanches, decidiu investir na Vila Mendonça com o Xodó Café. Tudo foi planejado para lanchonete. Porém a realidade do mercado mostrou-se diferente. Poucos meses depois passou servir refeições. Um ano após a instalação comprou um prédio ao lado para ampliar e, depois anos após, vendeu o estabelecimento do centro para dedicar esforços no Xodó da Vila Mendonça.
A Padaria Líder, pioneira na Vila Mendonça, também está de olho no mercado. Há alguns meses iniciou a ampliação do espaço para iniciar o serviço de restaurante.
O turismo da saúde tem contribuído para fortalecer e estimular novos negócios em Araçatuba.

Mostrar mais
Carregar mais em Araçatuba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Dívida com conta de luz emperra mudança de sede da Prefeitura

ARNON GOMES – MIRANDÓPOLIS Uma dívida superior a R$ 200 mil de gestões passadas em c…