Araçatuba

Salsicha, linguiça, salame e mortadela poderão ficar de fora da merenda escolar

Produtos que fazem a alegria das crianças durante a merenda escolar, linguiça, salsicha, mortadela e salame poderão ficar de fora do cardápio das unidades de ensino da rede municipal.
É o que acontecerá se a Câmara aprovar e o prefeito Dilador Borges (PSDB) sancionar projeto de lei do vereador Lucas Zanatta (PV) que proíbe a inclusão dos chamados alimentos embutidos na alimentação dos estudantes.
De acordo com o texto, a ideia é proibir a utilização de alimentos produzidos pelo enchimento de tripas de origem animal ou artificial de colágeno com recheio à base de carne, vísceras, gordura, sangue, especiarias e outros ingredientes como conservantes e aromatizantes.
Além da proibição à elaboração de alimentos feitos com base nesses ingredientes, a regra proposta quer estender a restrição à venda e ao consumo de lanches e refeições dentro das escolas, nas festividades ali realizadas e em eventos organizados nos estabelecimentos de ensino que ofereçam refeições aos alunos.
Zanatta diz, na justificativa da proposta, que a ideia é conscientizar sobre os problemas causados pelo consumo de alimentos embutidos no dia a dia, não apenas nas salas de aula, mas também em casa e em momentos de lazer. “O objetivo é incentivar o consumo de produtos mais saudáveis no cardápio de jovens e crianças que estão em fase de crescimento e precisam de alimentos com mais nutrientes para garantir um desenvolvimento adequado”, afirma.
O parlamentar cita como uma de suas preocupações a quantidade de casos de obesidade infantil decorrente da má alimentação, problema que favorece casos de doenças no coração, diabetes, entre outras associadas ao sobrepeso. Ele menciona também comunicado da OMS (Organização Mundial de Saúse), segundo o qual o consumo excessivo de embutidos eleva a possibilidade de desenvolvimento de tipos de câncer, como o colorretal. “O relatório concluiu que 50 gramas de alimento ‘embutido’ consumido diariamente aumenta em 18% a chance de se desenvolver um câncer”, destaca o vereador do Partido Verde.

INSPIRAÇÃO
O projeto de Zanatta é semelhante a lei existente em São Paulo, sancionada no começo do ano passado pelo então prefeito João Doria (PSDB). A proposta, na capital paulista, foi uma iniciativa do vereador Gilberto Natalini, correligionário de de Zanatta.
No caso de Araçatuba, o autor defende punições para quem descumprir a medida. Empresas fornecedoras e operadoras de cozinha e lanchonetes infratoras a sanções advertência e apreensão do material, multa de R$ 500 e cassação da licença de funcionamento, caso a infração persista após a terceira reincidência.
Se assim acontecer, a mercadoria apreendida que estiver em bom estado de conservação, dentro do prazo de validade e de acordo com as exigências da Vigilância Sanitária, poderá ir para a doação.

ARNON GOMES
Araçatuba

Comment here