Compartilhe esta notícia!

A criação da Diocese de Araçatuba completa 25 anos no dia 23 de março, data na qual a Bula Progrediens Usque, do então papa e hoje canonizado São João Paulo 2º, fora decretada. Ali estava encaminhada a consolidação de uma demanda de anos da cidade-sede e sua região, desmembrada da Diocese de Lins.
Para comemorar a data, a Diocese de Araçatuba celebra, no sábado (23), a Missa de ação de graças pela fundação. A celebração será presidida pelo bispo diocesano d. Sérgio Krzywy e concelebrada por todos os padres da diocese. A missa ocorre às 10h na Catedral Nossa Senhora Aparecida.

PASSOS
A publicação da criação da Diocese ocorreu na edição do dia 26 de março da edição do L’ Osservatore Romano, o jornal oficial de publicações da Santa Sé.
Segundo o padre Charles Borg, vigário diocesano e um dos articuladores da criação da Diocese, a necessidade do desmembramento da Diocese de Lins iniciou na década de 1980, mais precisamente em 1988, com a apresentação da urgência da separação feita pelo então bispo de Lins, d. Irineu Danelon, aos membros da Cúria Romana em visita ao Vaticano naquele ano.
“Elevar a cidade de Araçatuba a condição de sede de uma diocese sempre foi um anseio do povo da cidade e sua região. Em sua condição de sede de região administrativa, o município e seus segmentos pleiteavam essa distinção”, explica.
Conforme o sacerdote, outro fator que justificava a necessidade da criação da Diocese de Araçatuba era a extensão geográfica. “A imensa região geográfica da Diocese de Lins desgastava demais os padres, obrigados a deslocar-se constantemente ao longo de 400 quilômetros, o que dificultava imensamente os trabalhos pastorais e seus acompanhamentos”.

PRIMEIRAS DISCUSSÕES
Em 1989, o bispo de Lins d. Irineu iniciou as discussões para viabilizar a criação da então nova diocese. Borg recorda que em 1990 foi nomeado vigário episcopal com o objetivo de liderar o processo de providências em torno da nova diocese. “O Núncio Apostólico (espécie de embaixada do Vaticano no Brasil) solicitou uma série de informações que justificassem, em documentos, a necessidade de uma nova diocese. Foram levantados dados demográficos, geográficos, sociais, econômicos, políticos e pastorais, pois há muito tempo, até ali, não eram criadas novas dioceses no Brasil”, afirma o padre.
Em 1991 os documentos da comissão passaram a ser entregues. Foi então que iniciou a segunda fase do processo: os aspectos jurídicos e de divisão territorial. Segundo padre Charles, foi decidido, em conjunto com a Igreja de Lins, as novas limitações.
“Após intenso diálogo conseguimos agregar a região da Diocese de Araçatuba no atual limite territorial, que compreende de Coroados até Castilho. A única exceção foi a cidade de Clementina, que preferiu permanecer vinculada à Diocese de Lins”.

DEFINIÇÃO
Um ano e nove meses depois, em 29 de abril de 1992, toda documentação foi entregue ao Núncio Apostólico. Este intervalo, foram definidos os locais da Catedral Diocesana, residência episcopal, sede da Mitra Diocesana e o Centro Diocesano de Pastoral.
“Em junho de 1993, o então Núncio Apostólico, d. Alfio Rapisarda, visitou Araçatuba e afirmou à imprensa que a criação era questão de tempo. Finalmente em março de 1994, com o decreto de criação, nossa missão tinha sido cumprida. Temos profunda e imensa gratidão a todos os que ajudaram e ajudam até hoje nos frutos da nossa Diocese”, diz Borg.

RAIO X
A Diocese de Araçatuba atualmente conta com 33 paróquias, distribuídas em 19 cidades: Araçatuba, Andradina, Bento de Abreu, Birigui, Bilac, Brejo Alegre, Coroados, Castilho, Gabriel Monteiro, Guaraçaí, Guararapes, Lavínia, Mirandópolis, Murutinga do Sul, Nova Independência, Piacatu, Rubiácea, Santópolis do Aguapeí e Valparaíso.
O primeiro bispo diocesano foi d.José Carlos Castanho de Almeida, que veio da Diocese de Itumbiara (GO) e permaneceu à frente da Igreja de Araçatuba até 2003, quando apresentou pedido de renúncia de idade, tornando-se bispo emérito. Atualmente d. José vive com a família em Sorocaba, tendo 88 anos.
Enquanto a diocese estava vacante, foi nomeado, em 06 de outubro de 2003, o então bispo coadjutor da Diocese de Assis, d. Maurício Grotto de Camargo, que atuou como administrador apostólico até 28 de agosto de 2004.
O atual bispo, d. Sérgio Krzywy, assumiu como o segundo bispo local em 28 de agosto de 2004, permanecendo até os dias atuais. A Diocese de Araçatuba pertence à Província Eclesiástica da Arquidiocese de Botucatu, atendendo uma população estimada em 502 mil pessoas e fazendo limite com as dioceses de Marília, Lins, Jales, Votuporanga e Três Lagoas (MS).

Comemorações se estendem até novembro deste ano

A celebração do Jubileu de Prata da Diocese de Araçatuba, que tem como lema “Um só rebanho e um só pastor”, teve início com a abertura oficial, no Santuário Nacional de Aparecida, em 10 de novembro de 2018. Na ocasião, o bispo d. Sérgio Krzywy presidiu a missa em concelebração com padres da diocese e com a ida de mais de 2 mil leigos da região.
“Louvamos a Deus pelas incontáveis graças derramadas sobre nós por ocasião dos 25 anos de nossa diocese. Que permaneçamos unidos em um só rebanho e um pastor. Vamos nos manter unidos na construção do projeto de Deus”, afirmou, na ocasião.
As comemorações continuam com a Santa Missa em louvor à criação da Diocese no dia 23 de março, às 10h, na Catedral Nossa Senhora Aparecida, em Araçatuba, presidida pelo bispo d. Sérgio.
No dia 29 de maio, também na Catedral, mas às 19h30, será celebrado a missa em louvor à instauração da Diocese. O Solene Pontifical contará ainda com o descerramento de uma placa comemorativa após a missa.
Em 10 de novembro, no encerramento do Ano Jubilar, ocorrerá a missa em nível diocesano no ginásio Plácido Rocha, em Araçatuba, às 17h. Antes da missa neste horário, ocorrerá uma concentração de fiéis e consagrados na Praça João Pessoa, de onde toda a Diocese sairá em caminhada até o ginásio. “Esse ato representa nosso povo de Deus em caminhada constante rumo a unidade”, explica d. Sérgio.
Além das comemorações diocesanas, cada região pastoral fará a sua celebração em louvor ao jubileu de Prata. No dia 02 de agosto ocorrerá na região de Birigui; no dia 1º de setembro na região pastoral de Guararapes; 22 de setembro na região pastoral de Andradina e no dia 12 de outubro na região pastoral de Araçatuba.
“Nesta ocasião especial dos festejos que marcarão o Jubileu de Prata da nossa Diocese, suplicamos as bênçãos divinas sobre todo o povo de Deus abrigado na Diocese de Araçatuba, para que permaneçamos unidos, um só rebanho e um só pastor, e decididos a prosseguir com alegria e discernimento na construção do Reino de Deus que também é nosso”, conclui o bispo. (Assessoria Diocese).

DA REDAÇÃO
Araçatuba.


Compartilhe esta notícia!
Mostrar mais
Carregar mais em Araçatuba

Veja também

Tribunal de Contas do Estado julga regulares contrato com a Bolívia

Compartilhe esta notícia!DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA A Primeira Câmara do Tribunal de Con…