AraçatubaBrasilCidades

Campanha estimula uso de ecopontos e Prefeitura vai ampliar os serviços

No dia 3 de janeiro, ao visitar obras região do Morada dos Nobres, o prefeito de Araçatuba, Dilador Borges, surpreendeu o descarte irregular de resíduos. O prefeito chamou a atenção do infrator. O fato, publicado em O LIBERAL REGIONAL e nas rádios Clube FM e Jovem Pan FM teve grande repercussão e as pessoas passaram a denunciar descarte irregular. Fiscais da Prefeitura (postura e meio ambiente) e a Guarda Municipal começaram a atuar. Paralelamente, a administração decidiu fazer uma campanha para estimular o descarte regular de resíduos. O resultado foi surpreendente em poucos dias os três ecopontos ficaram cheios, exigindo medidas emergenciais. Agora, o município já está preparando a ampliação dos serviços.
A campanha foi veiculada nas rádios Clube FM e Jovem Pan FM na primeira quinzena de fevereiro o resultado foi trabalho foi surpreendente. O publicitário Rogério de Almeida, da agência Pontual, responsável pela produção da campanha publicitária (três spots) explicou que a ideia central foi “Faça o certo”, orientando as pessoas a fazerem o depósito de resíduos no ecopontos. Segundo o publicitário, o resultado foi surpreendente a rapidamente os ecopontos receberam muitas pessoas que foram levar os detritos.
Para o secretário de Comunicação Social da Prefeitura e defensor deste tipo de trabalho, Jonathas Magalhães, a publicidade oficial deve ter o objetivo claro de conscientizar a população e mostrar os serviços que são colocados à disposição da sociedade. De acordo com o secretário, outra campanha já está sendo preparada, desta vez para combater a dengue. É preciso envolver a população no combate aos criadouros do mosquito transmissor da doença, o Aedes aegypti.

A CAMPANHA
Desde que o prefeito Dilador surpreendeu o descarte irregular de resíduos, as denúncias se multiplicaram. Diariamente chegavam denúncias e reclamações às redações das rádios Clube e Jovem Pan e de O LIBERAL REGIONAL (veículos do SRC). A campanha foi produzida exatamente com apelo popular de zelar pela cidade. Em um dos spots, o cidadão conversa com outro que estava pronto para fazer o descarte irregular. De forma tranquila, chama a atenção para a importância de colocar os resíduos nos ecopontos, evitando problemas ambientais e até multas. Outro spot fala sobre o Centro de Tratamento de Resíduos (próximo ao aterro sanitário), alertando que faz frete de descarte. O terceiro spot fala sobre como o descarte irregular pode contribuir para o surgimento de escorpiões, que têm causado tantos transtornos e até morte.
Novos ecopontos serão colocados em operação para atender a população
“O descarte adequado de resíduos não uma questão apenas do meio ambiente, mas de saúde pública”. A afirmação foi feita pelo assessor executivo da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SMMAS), Lucas Savério Proto, ao falar sobre a campanha desenvolvida. Segundo, Lucas Proto, a ampliação dos serviços não é algo tão simples, implica em contratos para caçambas e caminhão. “Tudo foi feito para atender a determinação do prefeito Dilador Borges”, disse o assessor executivo da secretaria, explicando que até mesmo os horários foram estendidos. Agora, de segunda a sábado, os ecopontos e Centro de Tratamento de Resíduos recebem material das 8 às 18 horas.
Lucas Savério Proto, que é engenheiro florestal, disse que o manejo inadequado de resíduos de construção, de poda e capina e de volumosos (móveis e outros materiais), contribui para o surgimento de insetos como as baratas, alimento dos escorpiões. Portanto, quando se descarta de forma irregular alguma coisa ou deixa na vida e é levado para galerias de águas pluviais, contribui para o surgimento de escorpiões. “Daí a importância dos ecopontos”, enfatizou.
Segundo Lucas Proto, atualmente estão em funcionamento três ecopontos: São José, Claudionor Cinto e Lago Azul. Outros três estão praticamente prontos: Country (final da Avenida Odorindo Perenha), final da Rua dos Fundados e Universo (final da Avenida Artur Ferreira da Costa). Tem também o da Vila Alba, que depende de outros fatores e mais dois, cujos locais devem ser definidos.
“Não basta falar em ecoponto. Deve-se observar a disponibilidade da área da Prefeitura e a necessidade em determinada região”, disse Lucas Savério Proto.

a3 ecoponto.jpg

Comment here