Araçatuba

Varejo na região de Araçatuba tem alta de 1,9% nas vendas

O comércio varejista na região de Araçatuba faturou R$ 882,4 milhões em novembro, alta de 1,9% em relação ao mesmo período de 2017. De janeiro a novembro, houve crescimento de 3,3%, o que significa R$ 298 milhões a mais nesse período. Na soma dos últimos 12 meses, o crescimento foi de 3,4%.
Os dados são da Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista do Estado de São Paulo (PCCV), realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) com base em informações da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo (Sefaz-SP).
Em novembro, oito das nove atividades pesquisadas obtiveram expansão em seu faturamento real no comparativo anual, com destaque para os setores de autopeças e acessórios (15,6%); e supermercados (1,8%). Juntos, esses grupos contribuíram com 1,1 ponto porcentual para o resultado final. Houve queda no desempenho de outras atividades (-1%). No entanto, não exerceu impacto negativo significativo nas vendas.

Desempenho estadual
As vendas do comércio varejista no Estado de São Paulo seguiram a trajetória ascendente e atingiram R$ 61,7 bilhões em novembro, alta real de 6,3% em comparação ao mesmo período de 2017. Foi a maior cifra para um mês de novembro desde o começo da série histórica, em 2008. No ano, o faturamento real do setor cresceu 5,4%, o que representa um montante de R$ 31,5 bilhões maior do que o obtido no período de janeiro a novembro de 2017. No acumulado de 12 meses, apontou alta de 5,1%.
No mês, todas as nove atividades pesquisadas obtiveram expansão em seu faturamento real no comparativo anual, com destaque para os setores de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (11,7%); e supermercados (4,4%). Juntos, contribuíram para o resultado geral com 2,4 pontos porcentuais (p.p.).
De acordo com a assessoria econômica da FecomercioSP, os resultados de novembro não deixam dúvida de que há um ciclo de recuperação do comércio após a crise de 2014-2016. A retomada do crédito, com aumento da oferta e juros em queda, e a melhoria dos índices de desemprego – em meio a um cenário de inflação estabilizada em patamares baixos – estão permitindo recuperação do nível de confiança dos consumidores, o que é essencial para o comércio. Ao contrário do que foi visto em 2017, o desempenho das vendas de 2018 permanece ancorado nos segmentos de bens duráveis, eletrônicos e eletrodomésticos em especial.

Expectativa
Na análise da Entidade, com mais esse crescimento vigoroso em novembro e as esperanças otimistas em relação ao o novo governo, as expectativas continuam positivas para as vendas não apenas para dezembro, mas também para o resultado geral de 2018. Dessa forma, as vendas de dezembro, de mais relevância no conjunto anual do varejo, devem manter o padrão observado ao longo de 2018 até novembro, registrando taxas positivas e bastante vigorosas, com expectativa de se atingir a maior receita de faturamento de toda a série do comércio paulista.
Segundo a Federação, se o desemprego continuar caindo e o crédito aumentar, as chances de o comércio continuar apresentando crescimento também em 2019 são grandes. Contudo, ainda é preciso prestar atenção aos novos índices da conjuntura econômica, como inflação, PIB, taxas de juros etc.

DA REDAÇÃO
Araçatuba

Comment here