AraçatubaCidades

Programas facilitam acesso ao ensino na Fundação

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

O sonho de fazer um curso superior muitas vezes não se realiza em função da situação financeira das pessoas que enfrentam dificuldades para agregar um investimento a mais no orçamento, que muitas vezes está próximo do limite. No entanto, a Faculdade da Fundação Educacional de Araçatuba (FAC-FEA) tem sido a melhor opção em função do nível de excelência com mensalidades abaixo da média, por ser uma instituição sem fins lucrativos e também por oferecer convênios com diversos tipos de programas que viabilizam bolsas e financiamentos.
O presidente do Conselho de Curadores da FAC-FEA, Celso Mendes Gardinal, explica que a entidade pode oferecer mensalidades abaixo da média porque não visa lucro, e além disso investe constantemente em melhorias e implantação de programas que vêm para beneficiar os alunos. Hoje a FAC-FEA oferece convênio com o FIES, Escola da Família, Pibid e Residência Pedagógica.

FIES
A universitária Jennifer Caroline Lupifieri, que cursa o 4º ano de psicologia, utiliza o FIES, o Fundo de Financiamento Estudantil, um programa do Ministério da Educação destinado a financiar a graduação na educação superior. Os juros são baixos, 6,5% ao ano, o período de carência é de 18 meses e amortização pode ser até três vezes o período de duração do curso mais um ano. Pelo Fies é possível financiar até 100%, e a FAC-FEA possui convênio para esta modalidade.
Jennifer explica que foi fácil conseguir o financiamento e ela fez os processos iniciais pela internet. Optou por financiar 50% do valor, e ao invés de R$ 600, paga R$ 320 na mensalidade, que é o valor de sua contrapartida, já que só pediu financiamento para metade do valor, e mais R$ 20 referente a antecipação dos juros. Ela disse que isso deu um fôlego no orçamento e que está muito satisfeita, até mesmo pela qualidade do curso que está fazendo. “O curso de psicologia da FAC-FEA é muito bem conceituado e bastante puxado. Eu estou satisfeita”.

ESCOLA DA FAMÍLIA
O estudante do curso de administração, Gabriel Henrique Lameu Taramelli, conseguiu uma vaga no programa do governo do Estado “Escola da Família”. Ele não paga mensalidade e em contrapartida presta um serviço à comunidade todo sábado, na escola estadual Vaniolê Dionísio Marques Pavan.
Gabriel conta que antes de ingressar na faculdade já havia optado pela FAC-FEA por dois motivos. O primeiro é o nível do ensino, e o segundo, é que se caso não conseguisse uma bolsa, devido aos baixos valores de mensalidade, conseguiria dar um jeito para ir pagando até se enquadrar em algum programa de bolsa ou financiamento, sendo que se fosse em outra instituição não teria como arcar com as mensalidades.
Pelo programa, o estudante contemplado recebe bolsa integral de seu curso – a Secretaria de Estado da Educação arca com 50% do valor da mensalidade, com teto de R$ 500,00, e a instituição de ensino completa o restante do valor da mensalidade.
Em contrapartida, o estudante irá atuar como educador universitário em uma escola participante do Programa Escola da Família, que abre unidades escolares aos sábados e domingos para a comunidade.
As atividades desenvolvidas nas escolas poderão ser organizadas nos quatro eixos de atuação do Programa Escola da Família: Esporte, Cultura, Saúde e Trabalho. No caso de Gabriel, ele atua com a supervisão de atividades esportivas e educativas. O jovem diz que está sendo uma ótima experiência e aprendizado em lidar com o público.

PIBID
A estudante do 3º semestre do curso de pedagogia, Érica Antunes Garcia, está estudando e recebendo uma bolsa mensal superior ao valor da mensalidade do curso por meio do Pibid (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência). Ela disse que esse é um dos diferenciais da FAC-FEA, a preocupação em alocar o aluno ao mercado de trabalho, mesmo que durante o seu período de graduação, possibilitando a vivência na prática de forma mais efetiva.
Ela recebe um valor mensal em sua conta e em contrapartida faz estágio supervisionado de duas horas semanais em uma escola da rede municipal, além de participar de duas horas de reuniões na faculdade. Érica conta que consegue dividir seu tempo entre o trabalho no comércio, as duas horas semanais de estágio e a faculdade.
O Pibid, um programa do MEC, oferece bolsas de iniciação à docência aos alunos de cursos presenciais que se dediquem ao estágio nas escolas públicas e que, quando graduados, se comprometam com o exercício do magistério na rede pública.
O objetivo é antecipar o vínculo entre os futuros mestres e as salas de aula da rede pública. Com essa iniciativa, o Pibid faz uma articulação entre a educação superior (por meio das licenciaturas), a escola e os sistemas estaduais e municipais.
A intenção do programa é unir as secretarias estaduais e municipais de educação e as universidades, a favor da melhoria do ensino nas escolas públicas em que o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) esteja abaixo da média nacional, de 4,4. Entre as propostas do Pibid está o incentivo à carreira do magistério nas áreas da educação básica com maior carência de professores com formação específica

RESIDÊNCIA PEDAGÓGICA
A estudante Jéssica Antonioli Morari, que cursa o quinto semestre de pedagogia, conseguiu uma bolsa pelo programa Residência Pedagógica, também do MEC, e recebe um valor mensal que possibilitar o pagamento integral de sua mensalidade.
Atualmente ela está fazendo estágio na escola Lauro Bittencourt, além de outro estágio que faz por meio do CIEE. Érica diz que os estágios são diferenciais no currículo, e que a FAC-FEA dá total apoio para os alunos no sentido de oferecer e orientar com relação aos estágios. “É uma excelente faculdade. Eu escolhi essa instituição pelo nome que leva e pelo respaldo dado aos alunos”, explicou.

DIFERENCIAIS
O curso de Pedagogia da FAC-FEA é único da região que conseguiu a aprovação junto ao Governo Federal das bolsas de iniciação científica da CAPES (Pibid e Residência Pedagógica.
Outro diferencial da FAC-FEA é o curso de Pedagogia, que alcançou a nota máxima no Enade, colocando-se entre os dez mais bem avaliados do Estado de São Paulo, ao lado de grandes instituições tradicionais da educação superior, como Unesp e Ufscar.

 

Comment here