AraçatubaCidades

Município criará ação que envolverá diferentes setores no combate a escorpiões

ARNON GOMES – Araçatuba

Após ter confirmado 1.270 acidentes com escorpião em 2018, Araçatuba programa, para este ano, uma série de ações a fim de evitar que vidas fiquem ameaçadas por causa de ataques do aracnídeo.
Garantir a orientação e a prevenção são os principais objetivos. Uma das principais ações é a união de todas as secretarias municipais. Segundo a secretária municipal de Saúde, Carmem Guariente, trata-se do projeto “Atitude”. Diz ela: “Vamos envolver todas as secretarias e a população. Cada pasta desenvolverá um trabalho dentro da sua função”. A iniciativa foi sugerida pela vice-prefeita Edna Flor (PPS), de quem partiu, inclusive, a ideia do nome. “Tem que ser com atitude, pois, se assim não for, não adianta”, complementa Carmem.
Outra iniciativa, conforme a titular da Saúde no governo Dilador Borges (PSDB), consiste numa parceria com a Faculdade de Medicina Veterinária da Unesp (Universidade Estadual Paulista) de Araçatuba. A instituição de ensino superior se juntará a outras que já trabalham conjuntamente com a Prefeitura no combate aos escorpiões, como a Sucen (Superintendência de Controle de Endemias), Vigilância Sanitária, o DRS-2 (Departamento Regional de Saúde) e a própria Secretaria Municipal de Saúde. O principal trabalho da Unesp estará no desenvolvimento de pesquisas. A universidade passará a compor o grupo a partir de janeiro.
Com iniciativas desse porte, o município espera diminuir a estatísticas de ataques de escorpiões. Pelo menos até a última sexta-feira, 2019, em seus primeiros dias, já havia registrado quatro acidentes confirmados.
DICAS
Carmem destacou que as principais iniciativas rotineiras no combate aos escorpiões, em Araçatuba, podem ser conferidas nas redes sociais. Na página “pragasurbanaata”, no Instagram, a administração municipal publica orientações e também o que tem sido feito para evitar o crescimento no número de casos.
Ontem, por exemplo, na página, o município divulgou pelo menos 12 medidas preventivas para épocas de calor e dias chuvosos, quando é comum o aparecimento desses animais: evitar o acúmulo de lixo e entulho perto de casa; tapar as frestas e buracos das paredes; sacudir sapatos e roupas antes do uso; não guardar objetos embaixo das camas; afastar as camas das paredes; manusear, com cuidado, telhas e tijolos acumulados; ter atenção ao pegar lenhas ou estiver capinando; usar botas quando estiver em trabalho no qual seja necessário pisar em folhas e capim seco e úmido; cuidado ao trabalhar com carregamentos de lenha, madeira e tijolos; preservar os sapos, pois são predadores naturais dos escorpiões; usar telas com ralos no chão, pias ou tanques; e colocar proteção nas portas.

Na Câmara, tramita projeto que instituiu programa

O alto número de casos envolvendo ataque de escorpiões, levando vítimas inclusive à morte em Araçatuba, fez o vereador Almir Fernandes Lima (PSDB) apresentar projeto de lei que instituiu programa de combate ao aracnídeo.
A proposta foi protocolada em novembro, dois dias depois de um menino de 9 anos morrer após ficar internado por causa de uma picada. A ação é classificada como Programa Especial de Controle do Artrópóde Escorpião e deve ser executada pela Secretaria Municipal de Saúde em conjunto com os setores de Meio Ambiente e Planejamento.
O projeto, que não prevê custos para a administração municipal, aguarda parecer jurídico para sua tramitação avançar. O texto procura estabelecer objetivos a serem alcançados pelo poder público local.
Dentre eles, está a pesquisa de focos de escorpião, valendo-se até de métodos como o uso de predadores naturais, galinhas, galinhas d’angola, patos e gansos. E ainda: a educação sanitária referente à limpeza de terrenos e despejo de lixo, um trabalho mais apurado de mapeamento das ocorrências, o monitoramento das ações de controle, o planejamento de intervenções, a realização de um trabalho de buscas nos imóveis, orientação aos próprios moradores e ações especiais de combate em escolas e áreas públicas.
Almir propõe ainda que, havendo necessidade, a administração municipal faça parcerias com órgãos públicos ou empresas privadas para atingir todos os objetivos previstos no projeto.
Com a morte do garoto de 9 anos em novembro, a cidade terminou 2018 com dois óbitos por ataque de escorpiões. Portaria de 2004 do Ministério da Saúde, referente à organização do SUS (Sistema Único de Saúde), que determina ao município a responsabilidade pelo registro, a captura, a apreensão e a eliminação de animais que representem risco à saúde humana, cabendo ao estado a supervisão dessas ações.

 

Comment here