AraçatubaCidades

Prefeitos agem e empresa adia suspensão de linhas de ônibus

ANTÔNIO CRISPIM – Araçatuba

A Expresso Itamarati, empresa concessionária de transporte de passageiros que opera nas regiões de Araçatuba e São José do Rio Preto e em seis estados brasileiros, afixou comunicado informando usuários sobre a suspensão, a partir do dia 1º de janeiro de 2019, de linhas suburbanas que atendem várias cidades entre Auriflama e Araçatuba. No entanto, na tarde desta sexta-feira, após divulgação de comunicado conjunto de prefeitos de quatro cidades que seriam prejudicadas, a empresa determinou a retirada do comunicado da suspensão e informou aos funcionários que até segunda ordem as linhas serão mantidas.
A reportagem de O LIBERAL REGIONAL apurou que as linhas vêm sendo suspensas gradativamente. Jales para Araçatuba, por exemplo, há apenas um linha convencional. O ônibus sai de Jales às 7h30 e retorna, saindo de Araçatuba, às 18h10. A linha de ônibus suburbana foi suspensa.
Atualmente a Itamarati mantém linhas suburbanas de Major Prado para Araçatuba (passando por Santo Antônio do Aracanguá), e Auriflama para Artaçatuba (passando por Santo Antônio do Aracanguá) e de Gastão Vidigal (passando por Nova Luzitânia, Vicentinópolis e Santo Antônio do Aracanguá). Há linhas no sentido contrário, com o mesmo itinerário.
No período da manhã, três ônibus passam por Aracanguá. São nestes veículos que dezenas de trabalhadores são transportados para Araçatuba. Sem o transporte, estas pessoas correm o risco de até perder o emprego.
Foi exatamente devido aos problemas sociais que a suspensão das linhas causaria que os prefeitos Otávio Henrique Ortunho Wedekin (Auriflama), Roberto Carlos da Silva Breseghello (Gastão Vidigal), Laerte Aparecido Rocha (Nova Luzitânia) e Rodrigo Aparecido Santana Rodrigues (Santo Antônio do Aracanguá) soltaram comunicado conjunto. No documento relatam que receberam com surpresa o anúncio da suspensão das linhas. Disseram que prefeitos, vice-prefeitos e vereadores estão unidos e que vão buscar reunião com a direção da Expresso Itamarati e com a Artesp (Agência Reguladora de Transportes de São Paulo). Entendem que a medida é grave e atinge diretamente os municípios.
Após a divulgação deste documento dos prefeitos, funcionários da Itamarati receberam ordem para remover os comunicados que estavam nos ônibus e nas agências.

Comment here