Araçatuba

27 estudantes da região conquistam medalhas na 14ª Olimpíada Brasileira de Matemática

Certa vez, a corretora Ana Claudia de Souza Horta Sanchez chegou em casa e contou para seu filho que, na escola, a professora de matemática o chamou de autodidata. Leonardo Horta Sanchez ficou em dúvida sobre o significado da palavra. Mas, logo, entendeu. Aos 12 anos, ele é o tipo de aluno que costuma estar à frente do restante da classe.
Quando a turma está no capítulo seis, o adolescente já está lendo conteúdo do oito. Tamanha inteligência levou a docente a contar com a ajuda do garoto na hora de tirar dúvidas dos colegas em sala de aula. Foi, assim, com curiosidade e “devorando” apostilas, que Leonardo acaba de deixar dona Ana Claudia toda orgulhosa.
Seu pequeno acaba de conquistar a medalha de bronze na 14ª OBMEP (Olímpiada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas e Privadas). “Isso é motivo de muito orgulho, mas vejo também como uma forma de incentivar outros estudantes”, diz ela. “Fui participar porque sempre gostei da matéria”, afirma o menino, aluno do sétimo ano do Colégio SEB Thathi, em Araçatuba, e que sonha em estudar engenharia civil quando chegar ao ensino superior.
Leonardo é exemplo de um resultado que traz perspectivas animadoras para o futuro, três meses após o Ministério da Educação divulgar estatística segundo a qual sete em cada dez alunos do ensino médio têm nível insuficiente em matemática. Na competição da qual Leonardo participou, que, entre outros objetivos, busca estimular e promover o estudo da disciplina, 27 estudantes dos 43 municípios da região de Araçatuba foram premiados com medalhas de ouro, prata ou bronze. O resultado foi divulgado no dia 21 do mês passado e entrega do prêmio acontecerá em março de 2019. Em todo o Brasil, participaram 18 milhões de inscritos.
Da região, o único ouro foi conquistado por um estudante de Birigui: Pedro Henrique de Morais Mota, da Escola Estadual Vicente Felício Primo, na categoria dois, que envolve alunos dos sétimo e oitavo ano do ensino fundamental. Dentre as escolas públicas, um destaque foi o município de Gabriel Monteiro. Lá, três alunos da Escola Estadual Kassawara Katutok ficaram entre os premiados na competição.

PIC
Todos os alunos medalhistas foram convidados a participar do PIC (Programa de Iniciação Científica Júnior), que propicia ao estudante premiado em cada edição da OBMEP entrar em contato com questões no ramo da matemática, ampliando o conhecimento e preparando-o para um futuro desempenho profissional e acadêmico.
O estudante poderá participar do PIC Presencial, se houver polo perto da sua residência, com encontros presenciais, geralmente aos sábados, ou participar do PIC a Distância, com aulas virtuais. Os alunos do PIC têm acesso a um fórum virtual, elaborado pela OBMEP que, com ajuda de mediadores, realizam tarefas complementares às aulas. O material didático é preparado para os alunos nos diferentes níveis de participação.

Prêmio incentiva estudantes e valoriza professores

A Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas é promovida pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), com apoio da Sociedade Brasileira de Matemática, sendo realizada com recursos dos ministérios da Educação e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.
Criada em 2005, também procura identificar talentos na área; contribuir para a melhoria da qualidade da educação básica, possibilitando que um maior número de alunos brasileiros possa ter acesso a material didático de qualidade; e identificar jovens talentos e incentivar seus ingressos em universidades, nas áreas científicas e tecnológicas. E ainda: incentivar o aperfeiçoamento dos professores das escolas públicas, valorizando-os profissionalmente; contribuir para a integração das escolas brasileiras com as universidades públicas, os institutos de pesquisa e com as sociedades científicas; e promover a inclusão social por meio da difusão do conhecimento.
O público-alvo da OBMEP é composto de alunos do sexto ano do ensino fundamental até último ano do Ensino Médio. Eles são divididos em três categorias: nível um – alunos do sexto e do sétimo; nível dois – oitavo e nono; e ensino médio.

ARNON GOMES
Araçatuba

Comment here