AraçatubaCidades

Em dois anos, foram aprovados seis loteamentos com quase 5 mil unidades

ANTÔNIO CRISPIM – ARAÇATUBA

Nos últimos anos Araçatuba viveu um boom imobiliário, com o lançamento de dezenas de empreendimentos de diferentes níveis e preços. O mercado foi aquecido também pelo programa Minha Casa Minha Vida, pelo qual foram construídas mais de 14 mil unidades na cidade. Após período de apreensão em relação aos negócios, o mercado voltou a ficar aquecido. Apenas em 2017 e 2018, foram aprovados pela Prefeitura seis empreendimentos, totalizando 4.824 lotes. Destes, mais de 3 mil serão negociados com casas. A expectativa é de que as obras comecem no primeiro semestre do ano que vem. A construção de condomínios com casas e apartamentos não está incluída nestes números, que referem-se apenas ao parcelamento de solo.

De acordo com dados obtidos junto à Secretaria de Planejamento Urbano e Habitação de Araçatuba, no ano passado foram aprovados três loteamentos fechados: Laranjeiras (313 lotes), Vila Madalena (511 lotes) e Costa Home (237 lotes). Dos três loteamentos, apenas o Vila Madalena tem lotes mistos – comercial e residencial (quatro). A predominância é de lotes residenciais. Os três empreendimentos foram lançados em 2017 e estão quase todos os lotes comercializados. No momento executam obras de saneamento e de infraestrutura para que possam ser liberados para construção pelos compradores.

Os três empreendimentos, todos na zona norte da cidade, totalizam 1.061 lotes. Dezenas de empregos são gerados atualmente com as obras de infraestrutura. No entanto, o mercado deve mesmo ficar aquecido quando os empreendimentos forem liberados para construção nos lotes. Centenas de empregos devem ser gerados, aquecendo a economia local, movimentando diferentes setores do comércio.

Os números obtidos pela reportagem de O LIBERAL REGIONAL indicam que mais três empreendimentos foram aprovados em 2018. Os empreendimentos são Aimoré (1.356 lotes, sendo 1.249 residenciais, 38 comerciais e 69 mistos) e Paquerê (2.036 lotes, sendo 1990 residenciais e 46 comerciais). Os dois são abertos e na Estrada Caram Rezek (Engenheiro Taveira).  Além disso, serão construídas casas pelo Programa Minha Casa Minha Vida. O terceiro loteamento aprovado em 2018 é o Quinta do Ipê (371 lotes, sendo 363 residenciais e oito mistos). Este loteamento é fechado e fica ao lado do Senat, com entrada pelo Concórdia. Nos três empreendimentos aprovados em 2018 são 3.763 lotes.

No período de 2013 a 2016, foram aprovados seis empreendimentos, totalizando 2.753 lotes de parcelamento do solo. Muitos destes já foram negociados ou estão em fase de obras de infraestrutura para lançamento nos próximos meses.

 

ANÁLISE

Vários outros empreendimentos estão em análise na Secretaria de Planejamento. São três com certidão de diretrizes, oito em fase pré-aprovação e dois em aprovação final. Estes dois que estão em fase final de aprovação são o Barcelona 2, na zona norte, com 545 lotes, sendo 535 residenciais e 10 comerciais e o Aerorancho, com 328 lotes, sendo 321 residenciais, seis comerciais e um misto.

 

NÚMEROS

De acordo com os documentos aos quais O LIBERAL teve acesso, entre certidão de diretrizes, fase de pré-aprovação, aprovação final e aprovados, são 25 empreendimentos com parcelamento de solo, totalizando 12.923 lotes, sendo 9.704 residenciais, 264 comerciais e 794 mistos. Poucos destes empreendimentos já foram colocados à venda.

 

CRESCIMENTO

Além destes empreendimentos, há outros de anos anteriores e também as obras executadas em diferentes faixas do Programa Minha Casa Minha Vida, chegando a mais de 14 mil unidades. Isso equivale a quase 30 mil unidades em alguns anos.

 

-C-C–C-C-

Lançamento do Residencial Aimoré

Neste fim de semana a RPS Engenharia, empresa com mais de 20 anos de atuação no mercado, estará lançando oficialmente o Residencial Aimoré. São mais de 1,2 mil casas que serão construídas na Estrada Caram Rezek. O lançamento será na casa modelo, na Avenida Araçá, entre a Rua do Fico e a Rua Riachuelo.

O empresário Rubens Moraes, diretor da Imobiliária Casa Branca e que acompanha o processo desde 2015, disse que é um residencial diferenciado, pois é autosustentável. Foram reservados espaços comerciais e mistos para que no local seja implantado um centro empresarial para atender o próprio residencial e outros empreendimentos das imediações.

Há algumas semanas foi feito o pré-cadastro das pessoas interessadas. Agora a empresa começa a fazer os contratos.

AS CASAS

As casas serão edificadas por um sistema construtivo idealizado pela própria RPS, que garante qualidade, rapidez e baixo custo, exatamente pela melhor gerenciamento de pessoas e materiais, sem desperdício de tempo. Os terrenos têm tamanho padrão de 160 metros quadrados (8×20 metros). As casas têm 44 metros quadrados, com piso frio e laje. São casas independentes (não geminadas), com sala, cozinha, dois quartos e banheiro. O projeto dá condições de ampliação de mais um dormitório. Há um quintal de 48 metros quadrados para área de lazer privativa. (AC)

 

-x-x–x-

 

Residencial Vila Madalena inicia plantio de árvores

O Residencial Vila Madalena promoverá na próxima terça-feira, dia 4, das 9h às 10h, um plantio de árvores no empreendimento com a participação de 40 crianças do Colégio Geração Raízes. Serão plantadas quatro espécies: acácia imperial, jacarandá mimoso, ipê roxo e rosa. Cada aluno receberá uma plaquinha com a identificação de seu nome e a espécie plantada, que será colocada na frente da árvore.

Segundo Jamil Buchalla, diretor da Aeroparque, o objetivo é cativar as crianças para o compromisso com o meio ambiente e dar de presente uma árvore.

“O Vila Madalena vem trazer algo que não existe na região, um lugar com um maciço florestal maravilhoso, um conceito que prioriza a valorização do meio ambiente. Queremos oferecer muito mais do que um lugar seguro e bonito para morar, queremos contagiar crianças e adultos a olharem com compromisso e respeito para o verde. Esse plantio será o primeiro de muitos, com a parceria de escolas e grupos da cidade, além dos próprios compradores”, explica Buchalla.

Para a diretora do Colégio Geração Raízes, Susana Ferreira Fregonesi, esse tipo de ação incentiva os alunos a serem mais participativos como cidadãos. “Temos um lema de que a escola, sendo um lugar de caráter educacional, deve ultrapassar seus muros, participando de ações como essa. Assim, incentivamos as crianças a se envolverem em atividades que visam a sustentabilidade e benefícios à comunidade. Também para incentivá-los a se importarem mais com o próximo e transformar o conteúdo aprendido em atitude”, diz Susana.

O projeto ambiental florestal do Vila Madalena impactará positivamente no meio ambiente de Araçatuba. O motivo é sua arquitetura, que prevê alamedas floridas, matas e bosques nativos, que climatizarão o ambiente e que deverão atrair pássaros. (Da Redação)

Comment here