Araçatuba

Projeto desenvolvido na Etec de Araçatuba conquista prêmio em congresso científico

Quando Eduardo Henrique Suehara o aciona lembra até carrinho de controle remoto. Porém, o veículo desenvolvido pelo estudante, de brinquedo de criança, não tem nada. Trata-se de um carro automatizado, com tecnologia arduino – plataforma de hardware e de placa única desenvolvida para criação de ferramentas acessíveis de uso profissional.
Entre alguns dos exemplos citados pelo rapaz de 31 anos de idade, estão casas e aquários automatizadas. Movido por sensor ultrassônico, o pequeno automóvel foi criado para contribuir com soluções no cotidiano das pessoas. O aparelho, colocado logo à frente do carro, serve para fazer o controle de distâncias.
Tamanha inovação rendeu ao estudante da Etec (Escola Técnica Estadual) de Araçatuba prêmio no CICFAI, o congresso de iniciação científica realizado pelo Centro Universitário de Adamantina.
A iniciativa concorreu contra diversos projetos de nível técnico executados em cidades como São José do Rio Preto, Marília, Presidente Prudente e Andradina. A unidade de ensino profissionalizante local participou com 16 projetos, sete somente na área de tecnologia.
No ano passado, escola havia conquistado o mesmo prêmio, mas com estudantes de Guararapes que haviam feito um carregador de telefone celular por meio de um bicicleta.
Uma bicicleta, aliás, é o prêmio que será entregue ao estudante. Ele conta que a ideia do carro automatizado surgiu durante as aulas da disciplina de Programação e Algoritmos, no curso de Desenvolvimento de Sistemas, do qual Suehara é aluno.
A partir daí, com apoio do professor Rafael Marcelino de Jesus e muita leitura, foram pelo menos três meses até o projeto ficar totalmente pronto. Agora, Suehara já traça planos futuros. Ele já faz pesquisas a fim de utilizar o arduino em projetos para pessoas que sofrem de autismo.

RECONHECIMENTO
Para o coordenador do curso na Etec, Rodrigo Albino, o prêmio recém-conquistado “coroa” uma nova metodologia que vem sendo desenvolvida na escola, em que, ao final de cada disciplina, projetos são elaborados. “Normalmente, são feitos como TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) e nós estamos trabalhando assim há pelo menos três anos”, destaca. “Então, estamos semeando o que plantamos.” Com essa estratégia, a Etec de Araçatuba tem participado de vários congressos de iniciação científica no Estado e, frequentemente, ganhado prêmios.
Aluno do primeiro semestre, Suehara tem formação técnica em manutenção hospitalar, mas resolveu cursar Desenvolvimento de Sistemas a fim de descobrir a relação da eletrônica com a “internet das coisas”.

ARNON GOMES
Araçatuba

Comment here