Araçatuba

Especialista fala sobre importância da prevenção ao câncer de pele

Neste sábado (1º) será desenvolvida em Araçatuba a Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer de Pele. A campanha será das 8 às 12 horas no NGA-2, à Rua Siqueira Campos, 135 – Bairro São João, em Araçatuba. A dermatologista Fernanda Cação Briso, uma das organizadoras do evento, destacou a importância da prevenção.
“Este evento é realizado anualmente em nível nacional pela Sociedade Brasileira de Dermatologia. Este ano nós, dermatologistas de Araçatuba e Birigui, tivemos a iniciativa de trazer esta campanha para Araçatuba pela primeira vez. Mas para isto contamos com o apoio de várias entidades, como a Prefeitura Municipal, a Unimed, o Governo do Estado e do AME, que receberá os casos suspeitos para tratamento. Além disso, os alunos de medicina do Unisalesiano também estarão participando”, disse a doutora Fernanda Briso, explicando que o objetivo desta campanha é levar informações sobre a prevenção e o diagnóstico do câncer mais comum no Brasil, que é o câncer de pele. “Nos mesmos moldes do “outubro rosa”, o mês de dezembro foi o escolhido para ser o “dezembro laranja”, um mês dedicado à conscientização sobre os riscos da exposição solar”, acrescentou.
Segundo a dermatologista, o diagnóstico precoce do câncer de pele é fundamental para o tratamento efetivo e com menos sequelas. “Faremos uma triagem, que é um exame rápido e direcionado em busca de lesões de pele sugestivas de câncer. Pretendemos atender 300 pacientes neste dia. Os casos suspeitos serão atendidos no AME (Ambulatório Médico de Especialidade), que graças à Divisão Regional de Saúde disponibilizou as vagas para encaminhamento”, disse. Aproximadamente de 70 pessoas vão participar no dia da Campanha, sem contar o envolvimento dos agentes de saúde que fizeram a divulgação nas UBS locais.
Quanto à incidência de câncer, a médica disse que não há registro exato na região. “Mas por ser uma região tão ensolarada podemos supor que seja alta. O câncer da pele responde por 33% de todos os diagnósticos desta doença no Brasil, sendo que o Instituto Nacional do Câncer (INCA) registra, a cada ano, cerca de 180 mil novos casos. O tipo mais comum, o câncer da pele não melanoma, tem letalidade baixa, porém, seus números são muito altos. Os mais comuns são os carcinomas basocelulares e os espinocelulares. Mais raro que os carcinomas, o melanoma é o tipo mais agressivo de câncer da pele, podendo levar à morte. O tratamento geralmente é cirúrgico para todos os tipos de câncer de pele”, finalizou a doutora Fernanda Cação Briso.

ANTÔNIO CRISPIM
Araçatuba

Comment here