Araçatuba

Emocionado, paciente revela a confiança em tratamento inovador

“Eu não tenho o direito de desanimar. Eu não tenho o direito de fraquejar. Isso não depende só de mim. Se eu desanimar, eu desanimo uma equipe inteira que está por trás. Não sou só eu o Fúlvio paciente que está nesta luta e nesta esperança. Para isso chegar ao Brasil e para isso se realizar, teve muita gente por trás”, disse o gerente de logística Fulvio Erik Sangalli, 39 anos, que está lutando contra um linfoma e os tratamentos anteriores não tiveram a resposta esperada. Fúlvio foi para a história da medicina brasileira por ser o primeiro paciente do país a ser submetido ao tratamento com o medicamento Polatuzumabe Vedotin, ainda sem registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O tratamento foi iniciado por meio do Programa de Uso Compassivo, autorizado apenas em casos exepcionais. Fúlvio sabe que o resultado de seu tratamento pode refletir na saúde de milhares de pessoas que sofrem da mesma doença.
O tratamento inovador foi proposto pelo médico hematologista Márcio Rodrigo Domingos, que acompanha o paciente há algum tempo. O doutor Márcio Domingos, que concluiu a residência médica em 2014, disse que já havia feito tratamento com o Uso Compassivo no Hospital de Barretos. No entanto, esta é a primeira vez que o programa é aplicado na região de Araçatuba e a primeira vez no Brasil com o medicamento Polatuzumabe Vedotin, do Laboratório Roche.
Segundo o médicio, o Programa Uso Compassivo só em desenvolvido em casos excepcionais e várias situações são avaliadas, como o estado do paciente, o resultado de terapêuticas anteriores, o risco de morte e medicamente disponível. Ele explicou que Fúlvio foi submetido a dois tratamentos, inclusivo quimioterápico, mas o resultado não correspondeu. Por isso, preenchia aos requisitos. O processo foi iniciado em agosto, com os contatos mantidos com o laboratório Roche e com a Anvisa. Cumpridas todas as etapas, agora o medicamento está sendo ministrado.
No dia 22 foi aplicada a primeira dose. “Vão ser seis etapas, com doses a cada três semanas, totalizando 18 semanas de tratamento. Neste período o paciente passará por exames completos e ao final também, para verificar a eficácia do medicamento”, disse o médico, explicando que tudo deverá ser relatado às autoridades.
Durante entrevista coletiva, o doutor Márcio Rodrigo Domingos destacou a importância do empenho de toda a equipe do Hospital Unimed Araçatuba para desenvolvimento do tratamento por meio do Uso Compassivo.

PACIENTE
O paciente Fulvio Erik Sangalli, que é de Araçatuba, disse que apresentou os primeiros sintomas quando estava trabalhando em Florianópolis, Santa Catarina. Ela apresentou muita tosse e fadiga, mesmo tendo bom preparo físico. Os exames apontaram para um derrame pleural. O médico fez exames, pois suspeitou de neoplasia. Porém, o resultado foi negativo.
Fúlvio disse que retornou a Araçatuba e pouco tempo depois apresentou os mesmos sintomas. Suspeitou de novo derrame pleural. O diagnóstico foi confirmado e foi feita a drenagem. Os exames apontaram para o linfoma. Teve início o tratamento.
A mulher de Fúlvio Fabiana Regina da Cunha Sangalli, com quem tem três filhos e estão juntos há 24 anos, disse que ao saber do diagnóstico foi “um baque”. “Porém ele jamais se desesperou. Procura passar otimismo para a família e os amigos”, disse Fabiana. O seu comportamento sempre equilibrado e otimista é enaltecido por todos os profissionais que trabalham direta ou indiretamente no seu atendimento.
Fúlvio também destacou o empenho de todos os profissionais do Hospital Unimed – “Minha segunda casa”, como ele definiu. Enalteceu também o companheirismo da esposa.

ESPERANÇA
Durante a entrevista, Fúlvio Sangalli deixou claro que sabe da importância de seu tratamento, não apenas para a sua saúde, mas até mesmo para o futuro de outros pacientes. Ele revela bom humor e muita confiança.

ANTÔNIO CRISPIM
ARAÇATUBA

Comment here