Compartilhe esta notícia!

DIEGO FERNANDES – ANDRADINA

O governo federal mudou a forma de repassar dinheiro para a saúde dos municípios. Se antes eram analisadas apenas a quantidade de equipes de ESF (Estratégia Saúde da Família), agora o dinheiro será repassado de acordo com a quantidade de moradores que tiverem um cadastro ativo no SUS (Sistema Único de Saúde). Para isso, é necessário um recadastramento dos usuários por parte dos municípios.

Em Andradina, este recadastramento está acontecendo de casa em casa, por conta da pandemia. Agentes da secretaria de saúde do município estão visitando os moradores e apresentando um questionário para a atualização das famílias, porém, as equipes da saúde estão encontrando dificuldades neste recadastramento.

A principal queixa dos agentes públicos é que pessoas de maior poder aquisitivo não estão aceitando responder as perguntas. De acordo com a enfermeira coordenadora da Atenção Básica de Andradina, Cibele Medeiros, isso ocorre por desconhecimento da importância do trabalho financiado pelo SUS no município.

“Nosso maior problema está com as pessoas de maior poder aquisitivo. Geralmente eles têm planos de saúde particulares e eles não usou o posto de saúde, o pronto-socorro da cidade e eles acham que o SUS é só isso. Mas nós falamos que o SUS é muito maior do que isso, por exemplo, os Centros de Hemodiálise hoje são mantidos pelo SUS, pacientes com hanseníase não possuem atendimento particular, somente pelo SUS, tratamento de tuberculose. A lanchonete que você vai comer foi fiscalizada pela vigilância sanitária que é mantida pelo SUS, então o SUS é muito maior que somente as consultas de postinho e pronto-socorro”, disse Cibele em entrevista concedida esta semana à TV Tem.

O trabalho tem sido feito de segunda à sexta-feira, das 8h às 20h, e aos sábados das 9h às 17h, com o objetivo de atingir o maior número possível de moradores, mesmo aqueles que trabalham durante o dia ou aqueles que só tem disponibilidade aos sábados. Mesmo assim, as equipes estão tendo dificuldades para a realização do trabalho em alguns bairros.

“A gente pede que a população atenda os agentes, responda as questões, para que Andradina possa receber a sua totalidade de verba e continuar investindo na saúde”, completou Cibele.

A ação de recadastramento faz parte do Programa Previne Brasil para melhor gestão dos recursos no país. Em Andradina, a meta é recadastrar toda a população, visto que neste último trimestre o Governo Municipal ampliou a cobertura das ESFs para 100% do município, aumentando a quantidade de 11 para 16 equipes, contando com mais atendimentos nas unidades, além da ampliação do horário de funcionamento e incremento de novos serviços em todas as unidades.


Compartilhe esta notícia!