Compartilhe esta notícia!

Agora é que são “elas”. Ações que falam e palavras que não convencem
Por Ygor Andrade
À partir deste sábado (15), todas inaugurações, todos os eventos oficiais das Administrações Públicas de todo o Brasil, não poderão contar com seus maiores reforços. Os atuais Chefes Administrativos ficam proibidos de aparecer neste tipo de situação, com a possibilidade de caracterização de Abuso de Poder, ou uso da Máquina Pública (dinheiro público) para autopromoção. Isso significa que, mesmo sendo responsáveis por boa parte das (ou todas elas) conquistas da cidade, prefeitas e prefeitos terão que “igualar poderes” para apresentar seus projetos. E é nisso que o cidadão deve se prender: propostas e a possibilidade de realização delas.
Em Castilho, isso pode, a primeira vista, parecer uma desvantagem tendo em vista que a atual Gestora da cidade mostrou ter um perfil mais administrativo em vez de “Pavônico”, se assim podemos dizer, ou seja, prefere ações contundentes a simplesmente aparecer por ai, com os dedos em riste, gritando a plenos pulmões que faz e acontece. Contudo, com tanto que tem sido mostrado, em relação aos feitos, obras, conquistas e geração de empregos, por exemplo, difícil colocar em desvantagem uma Administração que tem, acima de tudo, priorizado o cidadão castilhense.

ERROS E ACERTOS
Acertou 100% das vezes? Óbvio que não, ninguém acerta. Mas é necessário deixar de lado as paixões para entender como tem sido feito o famoso trabalho de formiguinha realizado por toda a equipe da Prefeitura de Castilho, sejam eles Cargos de Confiança, ou concursados.
Para se ter uma ideia do que tem sido feito nos bastidores da política, recentemente, empresários do ramo da piscicultura estiveram na cidade para avaliar a possibilidade de fomentar o ramo na região e encontraram em Castilho dezenas de produtores rurais com tanques escavados e já com ‘criame’ de peixes em andamento. Essa produção, mesmo que ainda seja feita de maneira amadora (por favor, não encare isso de maneira pejorativa), ainda assim foi extremamente elogiada pelos interessados em fazer da cidade um polo, elevando-a ainda mais ao posto de Paraíso do Pescador. Aliás, segundo fontes bem próximas desta Administração, foi justamente este título que, aliado à insistência da Administração, fizeram com que os olhos dos empreendedores enxergassem a cidade.

ESTÍMULO A PISCICULTURA
Esse projeto experimental, como tem sido chamado, além de gerar mais rendas para os assentados, também aperfeiçoará aquilo que já vem sendo desenvolvido, além de fomentar outro tipo de produção que não o plantio de Coloral, Milho, Cana de Açúcar e hortas orgânicas; e que têm dado muitos resultados positivos, diga-se de passagem. Vantagem indiscutível para quem tem injetado ainda mais confiança na capacidade do trabalhador da cidade; haja vista que, em todas as licitações de obras na cidade, uma das exigências dos editais era de que a mão de obra fosse 100% local, ou seja, gerando emprego, aumentando o fluxo de dinheiro na cidade e fazendo com que a economia de Castilho siga forte, mesmo que boa parte dos gastos ainda e, por enquanto, também seja distribuída às cidades vizinhas.

CAMPANHAS POLÍTICAS
Campanhas políticas exigem do menor ao mais forte candidato o mesmo empenho, seja ele para conquistar a confiança de quem outrora não tivesse depositado seu voto em candidato X ou Y, ou seja para manter sua base eleitoral firme, forte e falando a mesma linguagem. O desafio é árduo para todos os lados, independentemente de situação ou oposição. Isso acontece em todo ano eleitoral, cujo desafio é, nada mais nada menos, do que apresentar frutos de um trabalho desenvolvido, no caso de quem está na cadeira, ou mesmo, a apresentação de propostas que consigam desbancar e sejam cabíveis para a realidade cultural e econômica da cidade, falando sempre a mesma linguagem.
Essa linguagem, aliás, parece já ter sido traçada e a base política da atual Gestão tem discursado sempre em manter a continuidade dos trabalhos para que o progresso aumente a capacidade de Castilho. A frase mais usada é: “Cessem as palavras, falem as obras!”, frase atribuída a Santo Antônio de Pádua, na qual expressa o sentido das ações coerentes e não somente das orações vazias, fazendo com que a união das forças se torne o equilíbrio necessário para a realização pessoal ou comunitária.

A6 – Castilho em Cena – eleições 2020


Compartilhe esta notícia!