Compartilhe esta notícia!

DIEGO FERNANDES – CASTILHO

A crise de saúde pública vivida pelo Brasil e por boa parte do mundo por conta da pandemia do novo coronavírus tem desencadeado uma crise econômica e a consequente diminuição de postos de trabalho. No município de Castilho, porém, as diversas obras existentes na cidade e os projetos aguardados até o final do ano, já estão gerando centenas de empregos para a população, com expectativa de aumento considerável de postos de trabalho em um curto prazo de tempo.

De acordo com a prefeita Fátima Nascimento (DEM), todas as oportunidades abertas no município devem gerar aquecimento no setor do comércio na cidade. “Essas empresas todas vão aquecer o nosso comércio, gerando renda e mais empregos”, afirmou a chefe do executivo em vídeo institucional da prefeitura.

Resort e prainha municipal

Contrariando a lógica da pandemia, o setor de turismo é um dos que mais tem gerado postos de trabalho em Castilho. Uma das obras já iniciadas na cidade é a do Novotel Terrassa Castilho, um mini resort que deve aquecer o turismo local. Somente nas obras do espaço estão sendo gerados cerca de 50 empregos diretos. Por exigência da prefeita Fátima Nascimento junto à construtora, os profissionais contratados para o trabalho são todos de Castilho e todo o material de construção para a execução da obra está sendo adquirido na própria cidade.

O mini resort contará com 70 apartamentos de alto padrão, um parque aquático com 5 piscinas sendo três aquecidas, academia panorâmica, além de uma unidade da rede de restaurantes “Favo de Mel”. A previsão de inauguração pra dezembro de 2020.

Após estar em funcionamento, o empreendimento deve gerar outros 180 empregos diretos, com funcionários divididos em três diferentes turnos para atender aos visitantes e consumidores.

A empresa prometeu ainda colaborar na instalação da Prainha municipal, onde o hotel terá um quiosque, além do embarque de barcos. Para a prefeita Fátima Nascimento, serão mais dezenas de empregos para as obras de instalação da Prainha. “Em breve vamos iniciar a implantação da nossa prainha. São mais empregos, lazer e incentivo ao turismo. Somando tudo, os hotéis, as empresas, a prainha, as nossas belezas naturais e o calor humano de nossa gente, é o resultado de um setor de turismo forte e com mais empregos. Além de tudo isso, as obras que realizamos também estão gerando empregos para a nossa gente”, afirmou.

Usina fotovoltaica

A prefeita Fátima Nascimento já havia confirmado no final do mês passado a oficialização de um convênio para a construção de uma usina fotovoltaica no município. O investimento na obra será de R$ 12 milhões e ela será erguida às margens da Rodovia Marechal Rondon, na área do Distrito Industrial.

A principal vantagem será a economia que a usina gerará aos cofres públicos município, além da criação de empregos e geração de renda. “Hoje pagamos em média R$ 135 mil por mês só com gastos em energias dos prédios da Prefeitura. Com a usina funcionando vamos gerar a nossa própria energia e trazer imensa economia aos cofres públicos municipais”, destacou a Prefeita.

A usina solar de Castilho terá capacidade aproximada de 1,3 MWP de produção, o suficiente para suprir a demanda de consumo de energia das repartições públicas sob responsabilidade da Prefeitura. “Com isso, vamos nos tornar autossuficiente na questão energética para os anos vindouros”, garante Fátima Nascimento.

Nos próximos dias a Prefeita assinará a ordem de serviço para iniciar a construção. A previsão é que a usina solar seja concluída dentro de 60 a 90 dias após início da obra. Com a iniciativa, Castilho se tornará destaque por ser um dos poucos municípios que geram a própria energia. A previsão do início da obra é para setembro de 2020.

Hipermercado

Segundo a chefe do executivo de Castilho, a cidade já tem confirmada o início das obras de um novo hipermercado. A rede Big Mart instalará empreendimento e deve começar os trabalhos de montagem das estruturas até outubro.

A rede possui lojas em Andradina, Três Lagoas, Promissão, Penápolis, Cafelândia, Ibitinga, Garça e Novo Horizonte, e terá também sua unidade em Castilho.

O investimento no empreendimento deve chegar a R$ 15 milhões e deve gerar pelo menos 100 empregos diretos na cidade. “O nosso projeto é que este mercado seja o maior e mais moderno de nossa rede. Pois contará com outras lojas agregadas como posto de combustível e até farmácia”, afirmou Marcos Antonio Rasquel, dono da rede, quando fez o anúncio da chegada em Castilho, ainda em 2019.

A construção deve ocorrer em terreno localizado na rua Belarmino França.

Outras empresas

Uma empresa de urnas funerárias também planeja instalação de uma unidade em Castilho. O empreendimento, que ainda não teve suas obras iniciadas, além de gerar empregos na construção civil, após inaugurado necessitará de uma demanda de 130 funcionários diretos, além de outros indiretos. A empresa deve se instalar nos barracões da CESP.

Outros 120 empregos também serão gerados após a instalação de uma indústria de reciclagem de pneus, que também ficará em um dos barracões. No final do mês de junho iniciou-se o processo seletivo para a contratação de operários para a obra de instalação do novo empreendimento. A indústria fará a transformação de pneus velhos em pó de borracha.

Para a prefeita Fátima, todas estas obras representam uma vitória para a população castilhense. “Tudo isso são grandes e importantes conquistas para as famílias de Castilho no meio de uma grande crise econômica e social que assola todo o Brasil”, opinou.


Compartilhe esta notícia!