Compartilhe esta notícia!

DIEGO FERNANDES – ANDRADINA

Em cumprimento a ofício recebido do governo do estado de São Paulo, a prefeita Tamiko Inoue (PSDB), de Andradina, publicou decreto proibindo o comércio não essencial de funcionar no município.

No ofício enviado, representante do governo estadual lembrou que Andradina está entre os municípios da DRS 2, que pertence a Araçatuba, que está classificada na fase 1 (vermelha) de flexibilização segundo o Plano São Paulo, criado pela equipe do governador João Dória (PSDB).

Ainda nesta semana, o município havia proibido, também através de decreto, o funcionamento das lojas e do shopping nos finais de semana, além de proibir o consumo no local em bares e restaurantes.

A partir de agora, até o próximo dia 30 de julho, as lojas do comércio andradinense estão proibidas de receber clientes, podendo vender seus produtos apenas pela internet, por telefone e com entrega a domicílio. O mesmo vale para os estabelecimentos do Oeste Plaza Shopping, que também deverá manter as suas portas fechadas no período.

Por conta disso, foi suspensa a cobrança do estacionamento rotativo, realizado pela Andrapark, concessionária deste serviço em Andradina.

Foram suspensas também as atividades em clubes, academias, escolas de natação, parques infantis, além de atividades presenciais realizadas em igrejas e centros religiosos. Estão proibidas também as festas de qualquer natureza, as visitas a pesqueiros, parques e horto educacional, além dos cursos presenciais.

Seguem funcionando em Andradina, a partir de hoje, apenas serviços essenciais como supermercados, farmácias, postos de combustíveis, lojas de conveniência, clínicas veterinárias, lojas de materiais de construção, além do comércio varejista de plantas. Os serviços de transporte público coletivo também estão autorizados a funcionar.

Na justificativa do novo decreto, a prefeitura de Andradina cita apenas o ofício recebido do governo do estado, endereçado à prefeita Tamiko, exigindo a revogação do decreto flexibilizador de atividades comerciais que estava em vigor no município.

Ofício do estado

O secretário de Desenvolvimento Regional de São Paulo, Marco Vinholi, enviou ofício na quinta-feira, dia 16, à prefeita Tamiko Inoue recomendando a revogação de decreto que permite o funcionamento de estabelecimentos comerciais não essenciais.

De forma clara, o governo estadual exigia, através do ofício, o fechamento do comércio de Andradina. Vinholi citou a legislação que estabeleceu as regras de funcionamento no estado, como também o Plano São Paulo.

O secretário afirmou que o decreto da prefeita estava em desacordo com as normas determinadas pelo estado. “Diante do exposto, solicito a Vossa Excelência que se abstenha de praticar novos atos incompatíveis com o regramento estadual que decretou a quarentena”, disse o secretário Marco Vinholi, que pedia a adoção de providências necessárias para revogação dos atos praticados.


Compartilhe esta notícia!