Home Cidades Andradina Andradina mantém combate à dengue em meio à pandemia

Andradina mantém combate à dengue em meio à pandemia

5 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

DIEGO FERNANDES – ANDRADINA

Apesar da preocupação com o coronavírus, Andradina também segue com suas equipes de saúde em alerta por conta da dengue. As atividades dos agentes da pasta seguem sendo realizadas nas casas dos moradores como forma de orientação e prevenção ao surgimento e desenvolvimento do mosquito da dengue.

Até agora, Andradina registrou 472 casos de dengue desde o começo de 2020. Mesmo com o número de infectados ainda não atingindo nem sequer 1% da população, o município já registrou 5 mortes por conta da doença neste ano.

Por conta disso, a saúde do município segue alertando os moradores para que cuidem de seus quintais, principalmente neste período de quarentena, quando mais pessoas estão em suas casas.

De acordo com o secretário de saúde de Andradina, Farid Haddad, os agentes do município estão fazendo visitas domiciliares desde setembro. Além disso, caminhões da Prefeitura estão removendo o entulho nas residências e há também uma parceria com o Tiro de Guerra para que ações ocorram em prol do combate ao mosquito Aedes Aegytpi, transmissor da dengue, zika vírus e chykungunya.

Outro trabalho que está sendo realizado pela prefeitura para este fim é o recolhimento de veículos abandonados pela cidade. Os carros parados podem acumular impurezas e deixar água parada, o que também deixa propício o surgimento do mosquito transmissor da dengue.

Castilho investiga mortes e tem ações contra dengue modificadas por conta do coronavírus

Já em Castilho, o município modificou algumas ações de seus agentes de saúde por conta da pandemia de coronavírus.

O município investiga duas mortes de idosos, ambos acima dos 80 anos, que podem ter sido causadas pela dengue. A cidade até o momento registra 88 casos da doença em 2020, sendo que outros 45 estão sob investigação.

A Saúde do município segue realizando visitas nas casas com orientação e aplicação de inseticidas, porém não estão sendo visitadas residências cujo responsável tem mais de 60 anos de idade.

Além disso, quando entram nas casas de moradores, os agentes estão verificando somente a parte de fora das residências e mantendo, sempre que possível, uma distância de no mínimo dois metros para o morador. A higienização das mãos dos profissionais da saúde também está sendo realizada antes de cada visita.

Segundo Samanta Del Negro, Agente de Educação em Saúde de Castilho, de fevereiro até abril são os meses com maior incidência de casos de dengue no município.

Ela ainda afirma que é importante que moradores deixem suas casas bem arejadas, com a abertura de portas e janelas, porque isso ajuda no combate ao mosquito causador da doença.


Compartilhe esta notícia!