AndradinaCidades

Prefeitura retoma atendimento com departamentos em vários locais

ANTÔNIO CRISPIM – MIRANDÓPOLIS

Um prefeito sem gabinete que recebe as pessoas ao ar livre ou em cadeiras ao lado da quadra, no Ginásio de Esportes. Esta é a atual situação do prefeito interino de Mirandópolis, Carlos Weverton Ortega Sanches, 38 anos, do MDB. No dia 11, na semana passada o prefeito baixou decretado interditando o prédio onde funcionavam o paço municipal (gabinete e vários departamentos) e a rodoviária. Os dias seguintes foram de muito trabalho para acomodar os departamentos em outros imóveis. Carlos Weverton viajou para São Paulo em busca de recursos. Neste segunda-feira, retomou às atividades, mas com tudo improvisado, mas com muita confiança. O prefeito ainda não sabe o que será feito no antigo prédio e quando e quanto vai custar a obra.
O médico e prefeito Carlos Weverton recebeu a reportagem de O LIBERAL REGIONAL e do SRC ao lado da quadra. Antes, já tinha conversado com vereadores e cidadãos do lado externo do Ginásio de Exportes. Ele disse que “estou prefeito há 45 dias” e não sabe até quando vai ficar, pois o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ainda precisa marcar a data da eleição complementar. Carlos Weverton assumiu a prefeitura porque era presidente da Câmara e a prefeita Regina Mustafa foi afastado devido à inelegibilidade do vice-prefeito, José Antônio Rodrigues.
O prefeito interino disse que o tempo é curto para trabalhar. Quanto à prioridade, o prefeito foi direto. Se eu não dissesse que é a saúde, até por ser médico, estaria mentindo. Só que a nossa cidade tem inúmeras carências. Estamos procurando olhar para a cidade como um todo, identificando os problemas e apagando as fogueiras. Tentando agir nas coisas que estão mais carentes, com mais dificuldades. Como questão de obras, a cidade estava parada, a questão do emprego, nossa cidade passa por dificuldade muito grande. Estamos procurando agir em todas as áreas, procurando fazer uma administração mais equilibrada. Uma administração muito mais voltada para as pessoas do que para números. Uma administração onde não tem espaço para o meu, mas para o nosso”, disse o prefeito mirandopolense. Segundo o prefeito, a proposta é ouvir as pessoas e juntos buscarem a solução para os problemas.

Administração ainda não definiu o que será feito no prédio da Prefeitura
Devido à queda de uma placa metálica na rodoviária, o prefeito pediu laudo de empresa especializada, que recomendou a interdição. Tudo foi muito rápido. Muitos departamentos que funcionavam no paço municipal tiveram de ser realocados em outros locais.
“É uma marca deste nosso governo interino a agilidade, a criatividade e a reatividade perante os problemas. Quando assumi a prefeitura há pouco mais de 40 dias, nós percorremos a maioria dos prédios públicos e encontramos uma situação deplorável. Uma coisa que já nos chamado a atenção foi a estrutura metálica da rodoviária. Como agravante, tivemos uma parte da estrutura que se soltou. Isso me levou a pedir um laudo técnico de empresa especializada em estrutura metálica. Este laudo condenava o telhado da rodoviária e sugeria que ela fosse interditada”, disse o prefeito mirandopolense.
Com o laudo, o prefeito acionou a Coordenadoria de Defesa Civil concordou com o laudo, entendendo que havia risco de desabamento e também optou pela interdição, tanto do paço municipal como da rodoviária. Para resolver o problema, o prefeito foi a São Paulo para alocar recursos para saber o que é mais viável, recuperar a estrutura existente ou fazer nova estrutura. O que será feito ainda não foi definido. Por isso não há projeto e não tem previsão de custo da obra.
“De imediato trouxemos a Prefeitura para o Ginásio de Esportes, a grande maioria das secretarias para economizar em aluguel. Porque o próprio valor que seria gasto com aluguel já me ajuda na reforma da Prefeitura. E nós, como todas as prefeituras do Brasil, não estamos em uma condição financeira muito boa. Trouxemos a grande em prédio maioria para cá e as outras alocamos dentro de outras secretarias em prédios que já tínhamos para tentar economizar o máximo possível”, acrescentou Carlos Weverton, que é natural de Mirandópolis e só esteve fora da cidade no período em que cursou medicina.
MUDANÇA
Quase todos os departamentos que funcionavam no paço municipal foram transferidos para o Ginásio de Esportes. Os demais são Obras, atendendo junto ao departamento de Promoção Social, localizado na Rua Rafael Pereira, nº 1520; Fiscalização, que será anexo ao prédio do Meio Ambiente, Rua Semi Sadano, nº 1193 e Jurídico, que foi para o prédio do antigo do Ministério do Trabalho, Rua das Nações Unidas, nº 481 – Centro.

Mirandópolis  - Paço Municipal (27).JPG

Comment here