Home Cidades Andradina Andradina é destaque regional na geração de empregos em maio, aponta balanço do Caged

Andradina é destaque regional na geração de empregos em maio, aponta balanço do Caged

7 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

Andradina foi o grande destaque da região de Araçatuba na mais recente pesquisa do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério da Economia, divulgada ontem. Dentre as 16 maiores cidades dessa fatia do Estado, todas com mais de dez mil habitantes, o município apresentou o melhor desempenho em maio.
De acordo com os dados, Andradina criou 109 postos de trabalho, consequência de 477 admissões ante 368 demissões, realidade bem diferente da maioria da cidades da região. Conforme o levantamento, juntas, as localidades mais populosas fecharam o período com saldo de – 527 vagas com carteira assinada. No quinto mês de 2019, foram 5.332 contratações e 5.859 dispensas. Além de Andradina, apenas outras cinco cidades fecharam maio com saldo positivo: Buritama (2), Castilho (79), General Salgado (17), Guararapes (42) e Ilha Solteira (22).
Para o economista Marco Aurélio Barbosa, professor da FAC-FEA (Faculdade da Fundação Educacional Araçatuba), o bom desempenho de Andradina é reflexo do resultado positivo do setor agropecuário e de empresas do segmento industrial vinculadas também à agroindústria. “Esse desempenho positivo fortalece os setores do comércio e de serviços, trazendo efeitos positivos para a dinâmica econômica local”, analisa Barbosa, que, na fundação educacional, coordena o Observatório da Economia Regional.
Dentro desse contexto, o economista destaca o fato de Andradina acamular, somente neste ano, 608 empregos criados no setor de serviços. Quanto à região como um todo, Barbosa considera preocupante o resultado apresentado nessa quinta-feira. “Isso reflete o desempenho de algumas importantes cidades da região, cujo resultado em maio foi negativo”, complementa. O maior destaque negativo da pesquisa, na região, ficou com Birigui.
O polo calçadista infantil obteve o pior saldo no mês passado. Foram encerrados 284 postos de trabalho. Segundo Barbosa, que é de Birigui, essa situação reflete a conjuntura econômica nacional. “Ou seja, uma profunda crise no setor industrial, em especial no segmento de calçados”, pondera. “Apesar de contar com empresas de outros segmentos produtivos industriais (metalúrgico, máquinas e equipamentos, aeronáutico, gráfico e outros), o calçado ainda é um segmento representativo na estrutura de empregos”, complementa o professor universitário. Esse resultado, completa o estudioso, traz ainda consequências no comércio, impactando negativamente as vendas.
Na avaliação de Barbosa, há dois fatores capazes de melhorar o desempenho regional nos próximos meses. O primeiro deles é a dinâmica econômica local e a melhoria das expectativas macroeconômicas que está em compasso de espera da aprovação da Reforma da Previdência.

TRÊS LAGOAS
Também cidade de circulação do jornal O LIBERAL REGIONAL, Três Lagos (MS) obteve resultado satisfatório na última pesquisa do Caged. Foram criadas 67 oportunidades com carteira assinada, resultado 1.343 contratações e 1.276 demissões. Um dado que acompanha a posição de Mato Grosso do Sul na pesquisa. O Estado terminou o mês passado, tendo criado 676 postos de trabalho.

Sem título.jpg

Em Araçatuba, setor de serviços acumula 712 vagas no ano

O resultado de maio não foi satisfatório para a maior cidade da região. Araçatuba terminou maio com saldo de -51 empregos formais. Porém, o acumulado de 2019 ainda é positivo. Têm pesado desfavoravelmente em termos de fechamento de vagas os setores da indústria, construção civil e comércio, com resultados negativos ao longo do ano. Entretanto, um setor tem se destacado na economia local: o de serviços. A cidade vem se mostrando um polo gerador de oportunidades nesse campo. Tanto é que, no ano, o saldo positivo nesse segmento é de 712 vagas.
BRASIL
Em nível nacional, o Caged mostrou que, em maio, foram criados 32.140 empregos com carteira assinada em todo o País. O saldo é resultado de 1.347.304 contratações e 1.315.164 demissões. Embora positivo, foi o menor desempenho para o mês desde 2016, quando houve fechamento de vagas. Em maio do ano passado, foram gerados 33.659 novos postos de trabalho formais.

ARNON GOMES
Andradina


Compartilhe esta notícia!