Compartilhe esta notícia!

Policiais civis de Valparaíso, de Araçatuba e de São Paulo prenderam, na manhã dessa quarta-feira (26), um rapaz de 27 anos apontado como líder de uma facção criminosa na chamada região 018, que inclui cidades da região de Araçatuba e Presidente Prudente. Ele seria o mandante de assassinatos e também por controlar territórios do tráfico de drogas e estava foragido desde a deflagração da Operação Bala de Prata, em julho deste ano.

De acordo com informações apuradas pela reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL, a prisão do investigado foi realizada pelos policiais do GOE (Grupo de Operações Especiais) de Araçatuba, juntamente com a Delegacia de Homicídios da cidade, da Polícia Civil de Valparaíso e da 5ª Delegacia de Roubo a Banco da capital.

O indiciado, identificado pelas iniciais J.G.P., era procurado por três mandados de prisões diferentes, sendo duas preventivas por homicídios nas comarcas de Valparaíso e Pereira Barreto e outra em Presidente Venceslau. Durante as buscas no imóvel onde estava na capital paulista, os policiais apreenderam dinheiro em espécie, uma porção média de maconha, celulares, anotações referentes ao tráfico de drogas, extratos e cartões bancários.

Durante a ocorrência, o autor apresentou um documento falso original do estado de Pernambuco. Ele foi levado até a sede do Deic e foi preso em flagrante por tráfico de drogas e uso de documento falso.

ATUAÇÃO

As investigações mostraram que J.G.P. exerce a função de ‘geral’ do interior (considerado um cargo do alto escalão da facção). Ele seria o responsável por dar o aval a qualquer decisão da organização nas cidades da região de Araçatuba e Presidente Prudente.

Além disso, o criminoso também é suspeito de disputar territórios do tráfico de drogas em Valparaíso e de ordenar assassinatos de desafetos. Um desses crimes ocorreu em janeiro deste ano dentro da Santa Casa de Araçatuba. Na ocasião, um rapaz foi ferido em um atentado dias antes e se recuperava no hospital quando foi surpreendido por dois rapazes dentro do quarto.

Os autores atiraram e fugiram em seguida. Câmeras de segurança de estabelecimentos próximos à unidade hospitalar flagraram a correria. A vítima teve que passar por uma nova cirurgia na perna e horas depois assinou um termo de responsabilidade para ter alta.

De acordo com a polícia, dias depois das duas tentativas de homicídio, o homem se mudou para Pereira Barreto, cidade onde também foi vítima de uma nova emboscada, mas conseguiu sobreviver.

INÍCIO DAS INVESTIGAÇÕES

As apurações começaram há cerca de nove meses após o assassinato do jovem José Ronaldo da Silva, de 19 anos, em dezembro do ano passado, em Valparaíso. A partir de então, a polícia descobriu uma organização bastante estruturada com o objetivo de conseguir recuperar territórios para a realização do tráfico de drogas e vingar a morte de outros integrantes assassinados nos últimos anos. A reportagem apurou que outros dois investigados continuam foragidos desde então.

 


Compartilhe esta notícia!