Compartilhe esta notícia!

A Polícia Militar de Araçatuba prendeu na noite de quarta-feira (5) um servente, de 19 anos, e um ajudante geral, de 30, com grande quantidade de crack e maconha. O flagrante ocorreu na rua Padre Ângelo Rudello, no bairro Águas Claras, zona norte do município.

Segundo informações do boletim de ocorrência, os PMs faziam patrulhamento de rotina quando avistaram a dupla em frente de um imóvel em atitude suspeita. As equipes fizeram a abordagem e os suspeitos não esboçaram qualquer reação e não tentaram fugir correndo.

Durante a revista pessoal em um deles foram localizadas 11 porções de maconha no bolso da bermuda, além da quantia de R$ 150,00 em dinheiro. O autor confessou o tráfico de drogas no local juntamente com o comparsa. O segundo abordado também foi revistado, mas nada de ilícito localizado em um primeiro momento.

RESIDÊNCIA

Os policiais prosseguiram com a busca, dessa vez dentro da casa. Minutos depois mais um grande valor em dinheiro foi localizado: R$ 1.630,00 em cédulas e moedas, além de cinco porções de maconha. A grande surpresa estava por vir.

Ao realizarem uma vistoria no aparador do bebedouro de água que estava na sala, a polícia encontrou 222 pedras de crack, todas embaladas já prontas para a venda. O morador da casa confirmou em depoimento que praticava a ação criminosa com o amigo para ‘melhorar de vida’.

Ambos foram levados para a Central de Flagrantes, onde prestaram depoimento na presença dos advogados. O servente exerceu o direito de permanecer em silêncio durante o interrogatório. Já o ajudante confessou ser usuário de maconha e que as porções localizadas eram provenientes de comissão para guardar as pedras de crack. Ele negou o tráfico de drogas e disse que o dinheiro era do auxílio emergencial.

O delegado plantonista decidiu manter a prisão dos dois por tráfico de drogas e associação ao tráfico e deixá-los à disposição da Justiça. Os indiciados foram transferidos, na manhã dessa quinta-feira (6), para a cadeia pública de Penápolis, onde devem aguardar decisão judicial.


Compartilhe esta notícia!