Compartilhe esta notícia!

O segurança Elvio Roberto Barbosa, de 55 anos, morreu depois de ficar uma semana internado na Santa Casa de Araçatuba ao sofrer um acidente doméstico com churrasqueira no último dia 25 de julho, na casa onde morava, no bairro Hilda Mandarino. Ele foi atingido por uma explosão causada por álcool quando participava de um churrasco em família. 

O boletim de ocorrência comunicando a morte da vítima foi registrado por um irmão. Ele contou em depoimento aos investigadores que o incidente ocorreu no momento em que Elvio percebeu que o álcool da churrasqueira estava acabando. Ele levantou o tacho e pediu para a nora colocar mais produto. 

A mulher pegou um galão de cinco litros de álcool e despejou um pouco no reservatório. Em seguida, houve a explosão, que atingiu o corpo do segurança. Ele saiu correndo para a cozinha em chamas. A esposa de Elvio conseguiu apagar o fogo alguns minutos depois e acionou o Resgate, do Corpo de Bombeiros. 

A equipe chegou alguns minutos depois e realizou os primeiros atendimentos. O homem foi encaminhado para a Santa Casa, onde permaneceu internado em estado grave, com 50% do corpo queimado. Na manhã de sábado (1), ele não resistiu aos ferimentos e morreu. 

A Polícia Civil registrou o caso como morte suspeita e requisitou exame necroscópico. O laudo deverá ficar pronto em até 30 dias para auxiliar nas investigações. 

 

MORTE DE CRIANÇA 

 

No último dia 24, um dia antes do segurança se envolver no acidente doméstico, o estudante Luan dos Santos Teodoro, de apenas 11 anos de idade, morreu depois de ficar dias internado ao se queimar em um tacho para fritar carnes no bairro Mão Divina, também em Araçatuba. Ele chegou a ser internado no Hospital Padre Albino, em Catanduva, que é especializado em queimaduras.  

O fato ocorreu no dia 16 de julho. Na ocasião, a mãe do garoto contou em depoimento aos investigadores que por volta das 16h daquele dia chegou do trabalho e sua outra filha disse que o irmão tinha sofrido queimaduras graves e foi socorrido às pressas até o pronto-socorro da Santa Casa. 

A declarante foi até o hospital e lá encontrou o marido. O homem contou que estava em frente da casa onde mora com a vítima, quando ela saiu sozinha e não falou para onde ia. O menino teria se deslocado para uma rua que fica a algumas quadras de sua residência. 

Minutos depois, outras crianças foram até o pai e falaram que um menor de idade havia jogado álcool no fogo para fritar carne em um tacho, momento que o líquido inflamável atingiu o seu filho e outro jovem, que não foi identificado. As chamas teriam se alastrado pelo tronco do corpo do garoto. Populares o socorreram e conseguiram apagar o fogo com uma coberta. 


Compartilhe esta notícia!