Compartilhe esta notícia!

A Polícia Militar de Araçatuba prendeu no início da tarde dessa segunda-feira (27) Isaías Venâncio, de 46 anos. Ele confessou ter assassinado a namorada, Adriana Silva Martins, 43, por esganadura durante a madrugada. Segundo a polícia, o homem passou a noite com o corpo da mulher nu em cima da cama e ele próprio foi até a casa de uma irmã da vítima contar o que havia ocorrido, mas sem confessar a autoria do crime. Horas depois, ele entrou em contradição e confessou o assassinato aos policiais, sendo preso em flagrante por feminicídio. 

A reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL esteve na cena do crime, que fica no bairro Engenheiro Taveira. Familiares e amigos de Adriana acompanhavam os trabalhos da Polícia Militar e da Perícia Técnica, revoltados com toda aquela situação. Por questão de segurança, Isaías teve que ser levado o mais rápido possível até a Central de Flagrantes, pois os moradores queriam agredi-lo.  

O CRIME 

Os policiais militares faziam patrulhamento de rotina e foram chamados pelo Copom (Central de Operações da Polícia Militar) até o endereço. Chegando lá, as equipes constataram diversas marcas de agressão no corpo de Adriana e começaram a desconfiar da versão apresentada por Isaías, que até aquele momento não havia confessado o crime. 

Ele foi separado e ouvido. Os PMs pediram para que ele tirasse a camiseta que vestia e, nesse momento, mostrou diversas marcas de luta corporal, aumentando ainda mais a hipótese de que teria praticado o assassinato da mulher. Minutos depois, ele entrou em contradição e confessou o que havia feito, em detalhes, mas não apresentou um motivo.  

O autor confessou que mantinha um relacionamento amoroso com a mulher, mas não moravam juntos. Durante a noite de domingo (26) ela foi até a casa dele, localizada na rua Justino Pedro Rodrigues, e os dois mantiveram relação sexual. 

Durante o banho, por motivos a serem esclarecidos, o indiciado contou que teve um desentendimento com a vítima e a agrediu. A polícia encontrou marcas de sangue no banheiro e em outros cômodos da casa. Ele contou, também, que após as agressões, ela teria desmaiado. Não se sabe ao certo em que momento ele teria a esganado até a morte. 

O homem arrastou o corpo da namorada até a cama e lá deixou até o dia amanhecer. Percebendo que ela não acordava, o investigado chamou uma enfermeira conhecida e foi até a casa de uma irmã de Adriana contar que a namorada tinha passado mal durante a noite e não acordava. 

Os familiares foram até a casa do suspeito e perceberam que a mulher já estava sem vida. Uma equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) chegou a ser acionada e o médico constatou a morte. 

FEMINICÍDIO 

Isaías foi apresentado na delegacia e prestou depoimento aos investigadores da DEIC/DIG (Delegacia de Investigações Gerais). Ele vai responder por feminicídio, cuja pena pode chegar a 30 anos de prisão. O suspeito deverá ser transferido, na manhã desta terça-feira (28), para a cadeia pública de Penápolis, onde deverá aguardar vaga em outra unidade prisional da região. 

As equipes da DIG retornaram até a residência do indiciado durante a noite e fizeram uma nova perícia, dessa vez com o uso de luminol, já que o autuado confessou ter limpado alguns vestígios de sangue na casa. A Polícia Civil abriu inquérito para dar prosseguimento às investigações do caso. 


Compartilhe esta notícia!