Compartilhe esta notícia!

A Polícia Militar de Jaú, em conjunto com policiais militares do Baep (Batalhão de Ações Especiais) e da Força Tática, prenderam o autor do latrocínio, roubo seguido de morte, do comerciante João Origuela Filho, de 73 anos, na noite de terça-feira (21). O crime ocorreu dentro do bar da vítima, localizado no Jardim Tóquio, em Penápolis. 

A reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL apurou que após a descoberta do assassinato, os policias começaram a fazer diligências na tentativa de localizar o suspeito. A única pista que eles tinham era o fato do criminoso ter roubado o veículo Honda/City. 

Através do sistema inteligente da PM foi possível verificar que o carro passou por um radar em Bauru algumas horas após o crime. Os policiais do Baep conseguiram levantar as imagens de monitoramento do veículo em fuga e descobriram que além do motorista havia uma mulher no banco do passageiro. 

O Honda/City foi localizado queimado durante a manhã de quarta-feira (22) na área rural de Jaú. Com todas as informações levantadas, a Força Tática daquela região passou a realizar patrulhamento e no início da noite do mesmo dia conseguiu abordar o homem e a mulher que apareciam nas imagens das câmeras de segurança. Os dois são irmãos. 

CONFISSÃO 

O suspeito teria confessado o latrocínio durante o depoimento, mas não repassou mais detalhes a respeito da ação criminosa. Ele negou que a irmã tivesse qualquer tipo de participação e só pegou uma carona com ele até a casa da mãe em Jaú. A ocorrência foi apresentada na delegacia do município e o preso permaneceu à disposição da Justiça. 

A Polícia Civil de Penápolis continua investigando o fato e não descarta a participação de outras pessoas no roubo seguido de morte. 

CRIME 

O corpo do idoso foi encontrado pela mulher. Ela foi até o local e pediu ajuda para um bombeiro, de 31 anos, para que ele a ajudasse a levantar a porta do estabelecimento comercial, já que até aquele momento o marido ainda não havia chegado em casa.  

Ao conseguirem abrir, o corpo do comerciante estava caído, bastante ensanguentado e, provavelmente, já sem vida. Eles acionaram uma equipe do Resgate, do Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar. Quando os socorristas chegaram já não havia mais o que ser feito.  

A área teve que ser isolada para o trabalho da perícia técnica e da equipe de plantão da delegacia da cidade. No local não existem câmeras de segurança. O carro do idoso, um Honda/City, foi subtraído na ação criminosa, mas a quantia de R$ 1.330,00, que estava guardada em uma prateleira, não foi levada.  

Os familiares de Filho contaram em depoimento que ele sempre tinha o costume de andar com certa quantidade de dinheiro no bolso, por isso desconfiam de que o criminoso tenha roubado essa quantia.  


Compartilhe esta notícia!