Compartilhe esta notícia!

Duas jovens, uma de 18 e outra de 19 anos, foram presas em flagrante na noite de sexta-feira (26) depois de tentarem matar um casal pela rua Rodamant Ferreira, no Conjunto Habitacional Claudionor Cinti, em Araçatuba. A real motivação do tiroteio ainda é um mistério aos investigadores.

Segundo informações do boletim de ocorrência, as vítimas são uma dona de casa de 42 anos e o marido, um borracheiro de 45. Os policiais militares faziam patrulhamento de rotina quando receberam informações do Copom (Central de Operações da Polícia Militar) informando sobre uma discussão entre mulheres e um homem e duas delas estariam armadas.

As viaturas se deslocaram até o endereço para fazer a averiguação e pouco antes de chegarem ao local, os policiais ouviram um tiro. Os PMs viram a mulher de 18 anos com um revólver nas mãos, apontando para o borracheiro. Ela deu mais um tiro, que atingiu a mão da vítima.  O primeiro disparo atingiu o joelho da esposa do homem.

ABORDAGEM

Com a chegada da polícia, a indiciada foi detida e largou a arma. Ela informou que havia mais um revólver com a amiga, dentro de uma residência. No quintal da casa, o borracheiro lutava com a segunda autora para tentar tomar a arma das mãos dela.

Com a intervenção policial, a suspeita também foi detida. Outras equipes policiais chegaram para apoiar na ocorrência, já que a situação estava bastante tensa na cena do crime.

Marido e mulher foram socorridos por unidades do Resgate até a Santa Casa de Araçatuba, onde receberam atendimento médico. O homem foi medicado e liberado algumas horas depois. Já a mulher permaneceu internada para fazer cirurgia. Ela não corria risco de morte.

ARMAS

A rua teve que ser isolada para o trabalho da perícia técnica. Os policiais apreenderam dois revólveres de calibre 38 e apreenderam projéteis do mesmo calibre. As autoras contaram que em seus celulares existiam provas contra o borracheiro, por isso os aparelhos foram apreendidos para serem analisados posteriormente. O laudo completo deverá sair em até 30 dias para auxiliar nas apurações.

Questionadas a respeito do motivo que levou ao tiroteio, as duas permaneceram caladas. As vítimas também não apresentaram as versões a respeito da real situação. As jovens foram encaminhadas até a delegacia, onde permaneceram presas em flagrante por tentativa de homicídio. A Polícia Civil abriu inquérito para dar prosseguimento às investigações.

A dupla foi transferida na manhã desse sábado (27) para a cadeia feminina de Tupi Paulista, onde deverá aguardar a decisão judicial e transferência para outra unidade prisional da região.


Compartilhe esta notícia!