Compartilhe esta notícia!

Um homem, de 36 anos, foi preso em flagrante no fim da tarde de quarta-feira (17) com uma arma de fogo e pasta base de cocaína. A apreensão ocorreu em uma residência localizada na rua Cussy de Almeida Júnior, no bairro Guanabara, em Araçatuba.

De acordo com informações do boletim de ocorrência, as equipes da 2ª Dise/Deic receberam informações de que o suspeito estaria realizando a comercialização de entorpecentes e estaria de posse de uma arma de fogo na casa onde mora.

Foi solicitado mandado de busca e apreensão e cumprido durante a tarde. Na chegada ao endereço, os policiais não foram recebidos por ninguém. Eles aproveitaram que o portão estava aberto e entraram no local. O indiciado já estava nos fundos tentando fugir da abordagem.

Na revista pessoal foi localizada a quantia de R$ 56, em um primeiro momento. Questionado se havia alguma coisa de ilícito, ele apontou para uma mesa na área dos fundos, onde a polícia localizou um pedaço de tijolo de pasta base de cocaína e uma porção grande, a granel, do mesmo entorpecente.

Ainda durante as buscas foi localizado o revólver, de calibre 38, dentro da gaveta do armário da cozinha, com seis cartuchos intactos. Já no guarda-roupas do quarto do autor, os policiais encontraram mais quatro porções grandes de maconha, além de R$ 300 em dinheiro.

O desempregado disse que há seis meses realizava o tráfico de drogas e que a quantia era proveniente do crime. Apesar disso, ele não revelou a procedência dos materiais ilícitos. Sobre a arma, ele teria pagado cerca de quatro mil reais, mas não quis falar a real motivação e de quem a comprou.

Diante dessas evidências, ele foi levado até a delegacia, onde prestou depoimento. O delegado plantonista manteve a prisão em flagrante por tráfico de drogas e posse irregular de arma de fogo e o deixou à disposição da Justiça. O indiciado foi transferido na manhã dessa quinta-feira (18) para a cadeia pública de Penápolis, onde deverá aguardar vaga em alguma unidade prisional da região. A Polícia Civil abriu inquérito para dar prosseguimento às investigações.


Compartilhe esta notícia!