Compartilhe esta notícia!

Policiais militares da Força Tática de Araçatuba prenderam dois auxiliares de serviços gerias, de 34 anos, depois de uma tentativa de assalto em uma residência localizada no Parque Industrial, na noite de sexta-feira (30). Dez pessoas foram feitas reféns durante a ação criminosa.

Segundo informações da polícia, as equipes estavam em patrulhamento quando receberam informações do Copom (Central de Operações da Polícia Militar) informando a respeito do roubo em andamento no local.

Imediatamente, as viaturas se deslocaram para o imóvel. Ao chegarem, os PMS escutaram outras pessoas gritando: “Não faça isso, para, para”. O portão social estava aberto, por isso, decidiram entrar. Na sala, os policiais encontraram as vítimas deitadas. No meio delas estava um dos suspeitos, de blusa preta. Ele foi rendido e algemado e indicou a participação do segundo comparsa, que ainda estava lá dentro.

TIRO

Alguns minutos depois, o sargento da Força Tática encontrou o criminoso e ordenou que ele largasse uma pistola de calibre nove milímetros, mas ele não obedeceu e virou-se conta o policial com a arma em punho. Nesse momento, o agente disparou um tiro, mas não atingiu a vítima, que se entregou em seguida.

Em revista pessoal foram encontrados diversos objetos das vítimas e dinheiro. Ao todo foram recuperados 13 celulares, três relógios de pulso, uma gargantilha com pingente, R$ 4.865,60 em notas diversas, 82,00 euros e um dólar. A PM também apreendeu o veículo Renault/Logan, utilizado pelos criminosos. Existe queixa de furto no município de Campinas no ano passado.

PRISÕES

Os indiciados foram encaminhados até a Central de Flagrantes, já na madrugada desse sábado (30) e permaneceram detidos por tentativa de roubo. Em depoimento, eles confessaram a intenção de assaltar o local. Um deles disse, ainda, que utilizou a arma emprestada de um desconhecido e iria pagar 10 do lucro do roubo a quem emprestou.

A dupla foi transferida para a cadeia pública de Penápolis, onde deverá aguardar vaga em alguma unidade prisional da região. A Polícia Civil irá abrir inquérito para dar prosseguimento às investigações. O delegado plantonista requisitou perícia no endereço e no carro dos autores e exame residuográfico ao policial militar. A arma dele foi apreendida pela própria Polícia Militar.

 

 


Compartilhe esta notícia!