Compartilhe esta notícia!

PERFIL DO INVESTIDOR

Pedro Barsalobre

Já dizia o filósofo Galileu Galilei: “A maior sabedoria que existe é a de conhecer-se a si próprio.”
Definir o perfil do investidor e direcioná-lo para os melhores investimentos com base nos seus objetivos, é o ponto de partida para investir.
As três premissas fundamentais são: objetivo do investimento, tempo que a quantia poderá ficar aplicada e a tolerância ao risco.
Se o investidor conseguir estimar o valor necessário para a formação desse investimento fica ainda mais fácil descobrir o tipo de aplicação ideal.
O horizonte de investimento também deve ser levado em consideração pois o tempo que o valor ficará aplicado pode influenciar na rentabilidade e na tributação. Alguns tipos de aplicações, resgatados antes do prazo de vencimento podem incluir baixas rentabilidades ao investidor.
O principal fator que o investidor deve ter em mente para conseguir ter uma rentabilidade melhor é o fator risco. Quanto maior a rentabilidade prometida, maior o risco de perder a quantia aplicada. Portanto, antes de escolher, é sempre bom comparar a rentabilidade prometida com a média do mercado e desconfiar de promessas boas demais. Não existe milagre no mercado financeiro.
Para quem escolhe assumir riscos para ter um retorno maior, é importante estar preparado para perdas ou variações e não colocar a parte essencial do seu capital nesse tipo de investimento.
Com essas informações em mente podemos qualificar o investidor em três tipos: conservador, moderado e agressivo.
O primeiro tipo preza pela segurança e se propõe a assumir os menores riscos possíveis. Para este perfil os produtos recomendados são majoritariamente investimentos de renda fixa como tesouro direto, CDB e fundos conservadores.
O perfil moderado busca segurança, mas também retornos acima da média, por isso aceita assumir certos riscos para uma parte do seu patrimônio diversificando seus investimentos com títulos públicos, renda fixa, fundos multimercados e produtos de renda variável como ações, fundos imobiliários entre outros.
Investidores que tem amplo conhecimento de mercado e estão dispostos a correr altos riscos e por isso são considerados investidores agressivos. Esse investidor costuma aplicar mais de metade do seu patrimônio em ações e produtos de renda variável.
É bom lembrar que seus investimentos são para financiamento do seu futuro e consequentemente terão de ser alterados ao longo do tempo na medida que o contexto político e econômico se modifica. Por isso, de tempos em tempos certifique-se de que suas aplicações estão alinhadas com seus planos para o futuro e com seu perfil de investidor.

Pedro Barsalobre é formado em Marketing e Pós-graduado em Administração de Empresas pela FGV. Possui certificação ANCORD de Agente Autônomo de Investimentos. Trabalhou por 10 anos em uma Instituição Financeira de grande porte e fundou a Arassá Investimentos em 2018 com mais dois sócios. Hoje é Assessor de Investimentos e Sócio Fundador na Arassá Investimentos, escritório credenciado à XP Investimentos.


Compartilhe esta notícia!