Compartilhe esta notícia!

FOTO CEDIDA: REGIONAL PRESS

Bandidos armados dispararam tiros contra um veículo com uma família, na noite de segunda-feira (25), na Avenida Jorge Mellen Rezek, em Araçatuba. No interior do carro estava uma criança. A polícia suspeita de que o crime tenha ocorrido por conta de alguma desavença relacionada ao tráfico de drogas. Um soldador, de 25 anos, e a mulher, de 31, foram qualificados como vítimas no boletim de ocorrência.

A reportagem apurou que a mulher teria feito o contato com a Polícia Militar informando sobre o tiroteio e que o marido havia sido sequestrado. Os policiais chegaram à cena do crime, a localizaram e tentaram mais informações a respeito do ocorrido. Em depoimento, ela contou que estava com o marido e o filho no veículo GM/Astra e teriam ido até uma residência, no bairro Águas Claras, depois de viajarem de Valinhos (471 quilômetros de Araçatuba), para pegar drogas.

O casal chegou no imóvel e foi atendido por uma mulher, a qual disse para descer, já que lá dentro haveria 12 quilos de crack. A mulher revelou que ela e o marido estranharam a situação, pois perceberam uma movimentação estranha de outras pessoas, motivo pelo qual decidiram ir embora. O homem acelerou o carro e foi em direção à rodovia Elyéser Montenegro Magalhães (SP-463).

Ao chegarem perto de um posto de combustíveis, o automóvel foi fechado por um Ford/Fiesta. Os ocupantes mandaram eles descerem, mas a vítima não obedeceu e acelerou ainda mais. Foi, nesse momento, que os primeiros disparos foram dados pelos criminosos.

PERSEGUIDOS

As vítimas foram perseguidas pelo Fiesta até a Avenida Jorge Mellen Rezek, quando o condutor perdeu o controle da direção e subiu no canteiro central da via. Ele saiu correndo pela janela do passageiro, mas foi alcançado pelos bandidos. Os autores o levaram até um cemitério, onde o agrediram e o abandonaram ali.

Alguns minutos depois, o motorista retornou até o local onde a esposa estava, àquela altura na companhia dos policiais. Uma equipe do Resgate foi acionada e socorreu o homem até o Pronto-Socorro Municipal. Ele não corria risco de morte. A perícia técnica também compareceu e identificou três marcas de tiros. O laudo completo deverá sair em até 30 dias.

A Polícia Civil registrou o caso como lesão corporal, disparo de arma de fogo, sequestro e cárcere privado, além de roubo, já que a vítima contou que os indiciados teriam subtraído sua carteira. Um inquérito já foi aberto e está em andamento. Até agora, nenhum suspeito de ter participado do crime foi identificado.


Compartilhe esta notícia!